domingo, 26 de abril de 2015

Bicicletas estão cada vez mais avançadas. Assistências técnicas para bicicletas estão presentes em todas as regiões de BH e oferecem serviços cada vez mais complexos

PUBLICADO EM 25/04/15 - 03h00
Apesar de não serem tão comuns quanto as oficinas mecânicas de automóveis, as assistências técnicas para bicicletas estão presentes em todas as regiões de Belo Horizonte e, para acompanhar a crescente sofisticação das magrelas, oferecem serviços cada vez mais complexos.
De 2006 a 2013, a venda de modelos com tecnologia mais avançada foi a que mais cresceu – 25%, de acordo com dados da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Bicicletas e Similares (Abraciclo).
Há 35 anos no mercado de venda e manutenção de bikes, Paulo Xavier, proprietário da Mop Bicicletas, no bairro São Pedro, na região Centro-Sul da capital, diz que a principal mudança que percebeu ao longo do tempo é dos próprios modelos. “As bicicletas evoluíram muito, principalmente quanto a freio e amortecedor”.
Segundo ele, a loja cresceu no período devido ao aumento não somente da demanda, mas também da concorrência. “O uso maior de bicicleta provocou a abertura de novas lojas e oficinas, e nós vamos acompanhando gradativamente”, afirma.
Na loja dele, o preço de manutenção das bikes varia de R$ 80 a R$ 125 – dependendo do tipo de bicicleta e do conserto. “Na manutenção completa, desmontamos a bicicleta inteira, lavamos com solvente, lubrificamos tudo e voltamos a montar, regulando todas as peças”, explica.
Veja o vídeo com o Mecânico Fabiano Cordeiro ensinando a trocar o pneu: 

Para o proprietário da Bici Shop, no centro da cidade, Alisson Silvestre de Trindade, mudaram não apenas as bicicletas, mas também a forma como as pessoas as veem. “Na década de 1990, eram mais sinônimos de brinquedo, hoje são meios de transporte, forma de lazer e esporte. Então, a variação dos modelos aumentou bastante”, conta.
Segundo ele, há bikes para todos os gostos e bolsos na loja – com preços que variam de R$ 479 a R$ 50 mil –, e a demanda pela manutenção, que fica na faixa de R$ 30 a R$ 90 e varia de acordo com o modelo, é maior por parte dos clientes mais antigos. “Bicicleta é igual cabelo, assim como você gosta sempre de manter o mesmo cabeleireiro, em quem confia, procura manter sempre a mesma assistência técnica”, afirmou.
O sócio e mecânico da loja Bike Bross na avenida Professor Morais, região Centro-Sul de Belo Horizonte, Fabiano Cordeiro, conta que por mês são consertadas cerca de 100 bicicletas no local. “A maioria dos consertos que fazemos são de Mountain Bike, geralmente elas apresentam mais problemas que as urbanas por causa do tipo de uso”, explica Cordeiro.
Segundo ele, o prazo para se fazer a manutenção das magrelas depende muito do tipo de uso de cada uma elas. Ele ressalta ainda que problemas como pneu furado pode ser solucionado pelo próprio ciclista, no entanto, outros problemas como freio ou marchas é preciso levar a bike até uma oficina.  
Rotina.  O dentista Carlos Edward Campos é ciclista da “vida inteira”. Com 49 anos, ele pedala desde os 10, tem três bicicletas e aprendeu a fazer a manutenção básica por conta própria. “Faço em casa mesmo, de três em três meses aproximadamente e, apenas nos casos mais graves, vou à oficina”, afirma.
Voluntário do grupo Bike Anjo BH, ele conta que já passou por várias situações em que a bicicleta quebrou no meio da rua e aconselha os novos ciclistas a procurarem cursos de manutenção, para que aprendam a fazer, pelo menos, reparos básicos. “Isso dá uma certa autonomia e garante que o ciclista não fique na mão e consiga chegar em casa sem problemas”.
Dicas
Substitua sempre que necessário e calibre segundo as recomendações do fabricante
Rodas. Verifique sempre a centragem dos aros, o estado dos raios e lubrifique os cubos periodicamente.
Transmissão. Mantenha coroas, catracas, correntes e pedais lubrificados.

Câmbios. Mantenha os câmbios dianteiro e traseiro regulados para maior precisão na troca de marchas.
Freios. Tenha sempre os freios ajustados para evitar falhas ou travamento. 
Mapa dos amantes de bicicleta
O leitor pode colaborar também com o nosso "Mapa dos amantes de bicicleta". No mapa colocamos todos os lugares e horários de onde os grupos saem. Gostaríamos também da sua contribuição. Indique-nos onde há bicicletários, oficinas de bicicleta e outros detalhes deste mundo.
Basta enviar um e-mail para portal@otempo.com.br, enviar mensagens por inbox no nosso perfil do Facebook ou mesmo mandar uma mensagem pelo nosso Whatsapp no número (31) 9827-4455.
http://www.otempo.com.br/cmlink/hotsites/tempo-de-bike/bicicletas-est%C3%A3o-cada-vez-mais-avan%C3%A7adas-1.1029171

Nenhum comentário: