terça-feira, 15 de julho de 2014

Lance Armstrong cogita criar uma nova fundação de combate ao câncer

Imprensa americana diz que ex-ciclista pretende voltar a trabalhar pela causa. Ele foi banido do esporte após confessar uso de substâncias proibidas durante sua carreira

Ciclismo Lance Armstrong (Foto: AP)Lance Armstrong ainda quer trabalhar pelas vítimas de câncer (Foto: AP)
Pivô do maior escândalo de doping do esporte, o ex-ciclista Lance Armstrong cogita criar uma nova fundação de combate ao câncer. Banido da modalidade ao ter confessado o uso contínuo da substância proibida Eritropoietina (EPO), o americano disse ao jornal ''De Moines Register'' que está disposto a voltar a ajudar. Aos 42 anos, ele superou a doença e criou a icônica Livestrong, mas foi afastado e se demitiu no fim de 2012.

A Fundação Livestrong foi fundada por Armstrong em 1997 e oferece apoio a pessoas com câncer. A organização ficou famosa em todo o mundo quando milhões de pulseiras de apoio foram vendidas pela causa. O atleta, que superou câncer no testículo, se afastou após ter perdido seus sete títulos do Tour da França.
De acordo com o jornal, Armstrong teria dito que ''se não é bem vindo'' na Livestrong, pretende começar outro projeto. No entanto, o atual presidente da fundação, Doug Ulman, teria dito à imprensa americana que as portas continuam abertas para o ex-atleta.
Acusações de doping mancharam carreira de Armstrong
Em 2005, Armstrong anunciou o fim da carreira. Mas, no ano seguinte, disputou a Maratona de Nova York e, em 2008, decidiu retornar ao ciclismo. Em 2011, se despediu das grandes competições internacionais. Os últimos anos da carreira do americano foram marcados por acusações de doping. Em 2005, começaram as suspeitas de que ele teria usado substâncias proibidas em 1999. Urina congelada do ciclista passou por análise, já que, na época, não havia tecnologia suficiente para isso. O resultado apontou para o uso de Erythropoietina.
Uma polêmica foi levantada a partir daí. Defensores de Armstrong argumentavam que a substância não era proibida na época. Em 2006, ele foi considerado inocente. Mas novas acusações surgiram em 2011. Dois de seus ex-colegas de equipe revelaram que o ídolo americano se dopava. Em junho do ano passado, a Usada acusou-o formalmente do consumo de substâncias ilícitas, baseando-se em amostras sanguíneas de 2009 e 2010 e nos testemunhos desses e de outros ciclistas.
http://globoesporte.globo.com/ciclismo/noticia/2014/07/lance-armstrong-cogita-criar-uma-nova-fundacao-de-combate-ao-cancer.html

Nenhum comentário: