terça-feira, 24 de junho de 2014

Beijineses pedalam para um futuro mais limpo e saudável

  2014-06-24 22:20:08  cri
Com mais de 20 milhões de moradores e 5,5 milhões de veículos, a capital chinesa, Beijing, está à beira da paralisia, com as ruas se tornando estacionamentos e os trens de metrô, latas de sardinhas.
  Porém, uma legião de ciclistas que usam este meio para ir e voltar do trabalho pode oferecer um pouco de alívio para a cidade super-inflada.
  A cidade adotou um novo sistema de bicicletas públicas em junho de 2012 com 2 mil veículos colocados em serviço em dois distritos da cidade. Este ano, estações de bicicletas públicas estão surgindo em todos os cantos da cidade.
  Cerca de 130 mil moradores da capital chinesa se inscreveram para o serviço e agora há 25 mil bicicletas públicas em toda a cidade.
  Depois de pagar um fundo de 200 yuans (US$ 32), reembolsável, as pessoas agora podem pedir emprestado as bicicletas por uma hora, de graça, ou ao preço de 1 yuan por hora depois da primeira hora. As bicicletas podem ser pegas em uma estação e devolvida em outra.
  O ciclismo pode ajudar a aliviar os problemas da cidade. Mais ciclistas significa menos congestionamento de trânsito e melhor qualidade do ar. As bicicletas já foram alugadas por quase 10 milhões de vezes, uma média de quatro vezes por dia para cada bicicleta. Segundo as autoridades, haverá 50 mil bicicletas nas ruas até o fim de 2015.
  Para os moradores que usam transporte público para ir e voltar do trabalho, o tempo gasto nos ônibus e metrô representa apenas 40% do tempo total gasto na viagem. Por isso, bicicleta pode ser um meio ideal para eles chegarem às estações de ônibus ou metrô.
  Beijing também é uma cidade plana, e suas ruas geralmente têm amplas ciclovias, as quais oferecem vantagem para andar em bicicletas.
  Já em 2005, a cidade começou a criar o sistema de bicicletas públicas, mas operadas por empresas privadas. Durante os Jogos Olímpicos de Beijing 2008, a procura por este serviço foi enorme entre os turistas e visitantes. Mas a iniciativa morreu devido ao apoio mínimo do governo e altas taxas de aluguel.
  "Agora o serviço é muito melhor e o governo é o principal operador", disse Wu Jun, um dos primeiros usuários do serviço.
  No entanto, a grave poluição do ar em Beijing é um fator desfavorável para os amantes do ciclismo. "Não vou arriscar minha saúde ao usar bicicletas em dias com smog (mistura de fumaça e neblina causada pela poluição)", disse um usuário.
Por Xinhua
http://portuguese.cri.cn/1721/2014/06/24/1s185860.htm

Nenhum comentário: