segunda-feira, 30 de junho de 2014

Como a Bicicleta Ergométrica Ajuda a Emagrecer

Teste para carteira de motorista terá perguntas sobre bicicletas e respeito ao ciclista

 em Brasil 29/06 22:15

As perguntas no teste dizem respeito principalmente ao papel do ciclista como ator no trânsito. Foto: Annaclarice Almeida/DP/D.A Press
O DETRAN-PE está promovendo a renovação do banco de questões que compõem o exame teórico para avaliação dos candidatos à Carteira Nacional de Habilitação
(CNH). A primeira etapa desta mudança acaba de ser implementada e diz respeito
à inclusão de perguntas relativas a ciclistas e ao veículo bicicleta.
O objetivo desta modificação do questionário é adaptar o exame teórico do
DETRAN-PE ao atual contexto de transporte multimodal, no qual a participação
dos ciclistas cresce cada vez mais. Trata-se de um universo de treze questões,
abordando diferentes temas presentes no Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e
relacionados diretamente a ciclistas e bicicletas.
Além disso, o exame teórico manterá questões indiretamente relacionadas à
condução de bicicletas. No total, existem 20 artigos do CTB direta ou
indiretamente relacionados aos ciclistas, além do anexo I do Código, que traz
a definição legal de bicicleta e termos correlatos como bicicletário, ciclovia
e ciclofaixa.
Teor das questões
As perguntas dizem respeito principalmente ao papel do ciclista como ator no trânsito, ressaltando, por exemplo, que este pode se enquadrar tanto na categoria de condutor quanto na de pedestre. Isso está previsto no artigo 68 do CTB, segundo o qual “o ciclista desmontado empurrando a bicicleta equipara-se ao pedestre em direitos e deveres”.
Outra questão curiosa se refere à possibilidade de o ciclista ter a bicicleta recolhida se for pego pela Autoridade de Trânsito dirigindo de forma agressiva
ou pedalando em cima de calçadas e passeios.
Há espaço também para indagações relativas ao papel do Poder Público na promoção da circulação segura para os ciclistas. Outro tema abordado é o comportamento dos condutores de veículos maiores com relação ao ciclista.
Questões como distância lateral de segurança e formas de ultrapassagem estão
em pauta e derivam diretamente da determinação do artigo 29 do CTB, o qual
prevê a obrigatoriedade dos veículos maiores de respeitar e zelar pela
segurança dos menores.
Educação - A reflexão sobre os ciclistas também é estimulada pelos projetos Se
Essa Rua Fosse Minha e Esta Cidade Também é Minha, voltados respectivamente
para a formação de professores e alunos dos ensinos fundamental e Médio. O
DETRAN aposta na ideia de que a formação teórica do candidato à CNH deve
começar já na infância e continuar depois que ele obtém a CNH, levando-se em
consideração que é obrigação do cidadão manter-se inteirado sobre as mudanças
da legislação de trânsito.
http://boainformacao.com.br/2014/06/teste-para-carteira-de-motorista-tera-perguntas-sobre-bicicletas-e-respeito-ao-ciclista/

Brasília ganhará 20 pontos de bicicletas compartilhadas até o fim de julho


29/06 às 18h03

Pedalar de magrela laranja virou um dos mais novos programas dos brasilienses nos fins de semana. Atualmente com 20 estações de bicicletas compartilhadas, a capital federal ganhará 20 pontos até o fim de julho. De acordo com a Secretaria de Governo do Distrito federal, foram feitas mais de 12 mil viagens por toda a cidade e cerca de 20 mil cadastros no sistema desde a inauguração do projeto, há um mês.


Até quem não tinha tanto o hábito de andar de bicicleta rendeu-se à ideia de passear pela cidade em duas rodas. A empresária Caroline Lima, 27 anos, não é dona de uma bicicleta há mais de 15 anos, mas agora bate ponto nas estações do projeto Bike Brasília quase todo sábado ou domingo.

“Achei superfácil e prático poder alugar a bike por meio de um aplicativo. É interessante pegá-la em um ponto e devolvê-la em outro. Também é uma forma diferente de conhecer Brasília, onde a maioria das pessoas se desloca de carro. Outro ponto positivo do aluguel é não precisar de um local para guardá-la”, disse Caroline.

Para usar a bicicleta, o interessado tem de fazer um cadastro na página da Bike Brasília na internet, informando o número da carteira da identidade, do CPF, do telefone celular e o endereço. Além disso, é preciso pagar uma taxa anual de R$ 10. Na hora de passear, a bike pode ser alugada por meio de aplicativo para iPhone, Android e Windows Phone, ou pelo telefone 4003-9846.

No celular ou na ligação, basta digitar o número da estação onde a bicicleta será retirada e número da posição da bike. Em seguida, basta confirmar a operação e retirar a bicicleta quando uma luz verde acender e um sinal sonoro for emitido. Para devolvê-la, a pessoa tem de encaixá-la em uma posição disponível e verificar se a bicicleta está devidamente travada.

A bicicleta pode ser usada por uma hora. Depois desse período, o ciclista tem de esperar 15 minutos para usá-la novamente, por mais uma hora. Se não fizer essa pausa, terá de pagar R$ 5 por hora excedente.

No último dia 21, dez novos pontos de compartilhamento das bikes foram inaugurados em Brasília: na Rodoviária do Plano Piloto (agora com três estações), no Centro Empresarial Brasil 21, no Setor Bancário Sul, no Setor de Abastecimento Sul, no Setor Comercial Sul (duas estações), no Setor de Rádio e TV Sul e no Setor Comercial Norte, também com duas estações.

Espalhadas em 20 pontos da cidade, as estações de compartilhamento oferecem 200 bicicletas. A expectativa é a de que, até o fim de julho, sejam instaladas mais 20 estações de compartilhamento, com mais 200 bicicletas disponíveis – totalizando 40 estações e 400 bikes.

Nara Loreno, 22 anos, e Carlos Alexandre, 35 anos, tiraram o dia para “passear de camelo” neste sábado (28), mesmo com a ansiedade da partida da Copa do Mundo entre o Brasil e o Chile. “Nem estamos ligando para o jogo. Tínhamos programado pegar as bicicletas para passear há muito tempo e não quisemos desmarcar”, explicou Carlos Alexandre.

Os dois deixaram o carro na Praça do Buriti, sede do governo local, alugaram as bicicletas e foram até a Esplanada dos Ministérios. No trajeto de volta, Nara se queixou de ter de empurrar a bike por causa do pneu dianteiro murcho. "Tirando esse problema, que acredito ser pontual, o sistema é ótimo e funciona. É bem fácil fazer o cadastro e baixar o aplicativo”, comenta Nara.

http://www.jb.com.br/pais/noticias/2014/06/29/brasilia-ganhara-20-pontos-de-bicicletas-compartilhadas-ate-o-fim-de-julho/

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Vídeo: Samsung apresenta protótipo de bicicleta inteligente

Vídeo: Samsung apresenta protótipo de bicicleta inteligente
A Samsung, que têm investido em tecnologia wearable há algum tempo, pode estar interessada em fabricar “smartbikes”. Em parceria com o designer italiano Giovanni Pelizzoli, uma aluna do programa Samsung Maestros Academy apresentou o conceito da possível bicicleta conectada. O projeto de Alice Biotti funcionaria com a ajuda de um smartphone, que controlaria o objeto.

Comandos na tela do gadget projetariam uma ciclovia para auxiliar o ciclista a delimitar seu espaço. A câmera traseira também funcionaria como uma espécie de retrovisor e um farol poderia ser aceso em trajetos noturnos. Além disso, os aplicativos projetados para ciclistas utilizariam o GPS do celular para indicar as melhores rotas.

Confira o vídeo:


Confira o vídeo:
Com informações do Brainstorm9 

Novas 10 estações do Bike Brasília já estão disponíveis para o público

Projeto ampliou em 100 o número de bicicletas

Para utilizar as bicicletas, é necessário preencher um cadastro pela internet e pagar uma taxa anual de R$ 10Divulgação
Com menos de um mês de funcionamento, o Bike Brasília já contabiliza cerca de 12 mil viagens. O número de interessados em utilizar as "laranjinhas" também cresce a cada dia: mais de 20 mil pessoas já se cadastraram. Para atender à demanda, foram disponibilizadas mais 10 estações de bicicletas compartilhadas aos usuários. Até o fim de julho, serão 400 bicicletas, divididas em 40 pontos.
As novas estações foram implantadas nos seguintes locais: Rodoviária (que agora tem três estações); Brasil 21; Setor Bancário Sul; Setor de Abastecimento Sul (SAS); Setor Comercial Sul (duas estações); Setor de Rádio e TV Sul e Setor Comercial Norte (também com duas estações).
Copa do Mundo
O colombiano Carlos Rodríguez veio prestigiar os jogos da Copa do Mundo na cidade e elogiou o Bike Brasília. 
— Pelo que pude observar, as pessoas utilizam muito o carro aqui. Esse projeto é bacana, pois muda essa lógica. Você pega a bicicleta e pode passear por aí. Olhar a cidade de perto. Brasília é muito linda para ser vista só da janela do carro.
Ângelo Silva veio do Maranhão para acompanhar a Copa e também aprovou a iniciativa.
— Esse projeto é muito legal. Vou visitar a Catedral, a Esplanada, a Torre de TV e o Estádio de bicicleta. Será um passeio turístico bem mais prazeroso.
Como usar
Para utilizar as bicicletas será necessário preencher um cadastro pela internet no site do projeto Mobilicidade. É preciso pagar uma taxa anual de R$ 10.  
As bicicletas podem ser usadas gratuitamente por uma hora. Para que a gratuidade seja assegurada por mais de uma vez em um mesmo dia, deverá ser respeitado um intervalo mínimo de 15 minutos para a retirada da bicicleta pelo mesmo usuário. Para continuar utilizando a bicicleta, sem fazer a pausa, serão cobrados R$ 5 por cada hora excedente.  
Para destravar a bicicleta, o usuário pode usar o aplicativo para celulares ou ligar, do telefone celular, para o telefone 4003-9846. As estações do Bike Brasília funcionarão por meio de energia solar e serão interligadas por sistema de comunicação sem fio, via rede GSM e 3G, permitindo que estejam conectadas com a central de controle samba 24 horas por dia.  
http://noticias.r7.com/distrito-federal/novas-10-estacoes-do-bike-brasilia-ja-estao-disponiveis-para-o-publico-25062014

CABINE DESMONTÁVEL PARA BICICLETA !

Chinês de 26 anos será o primeiro ciclista de seu país a competir na Volta da França

Ji Cheng já havia participado da Volta da Espanha de 2012 e do Giro d'Itália em 2013

26/06/2014 08:54 - Atualizado em 26/06/2014 09:07
Por ahe!
RIO
Ji Cheng à frente do pelotão da Volta da Espanha de 2012 - Foto: DivulgaçãoAos 26 anos, o chinês Ji Cheng se tornará o primeiro ciclista de seu país a competir na Volta da França, que tem largada no dia 5 de julho na cidade inglesa de Leeds. Ele será um dos nove integrantes da equipe Team Giant-Shimano.

Em 2012, Ji Cheng já havia participado da Volta da Espanha, e, no ano passado, do Giro d'Itália. Essas duas provas compõem com a Volta da França as três mais importantes do ciclismo mundial.

Nascido na cidade de Harbin, Ji Cheng era corredor na infância antes de trocar de esporte. Primeiro, escolheu o ciclismo de pista, modalidade na qual a China conquistou duas medalhas de prata e uma de bronze nos Jogos Olímpicos de Londres 2012. Em seguida, passou para o ciclismo de estrada.

- Ter em Cheng o primeiro chinês a competir na Volta da França será ótimo para ele e para seu país, e estamos ansiosos para que essa participação colabore para globalizar o esporte - disse Rudi Kemma, técnico do Team Giant-Shimano.
http://www.ahebrasil.com.br/noticias/2014/06/26/ciclismo/chines+de+26+anos+sera+o+primeiro+ciclista+de+seu+pais+a+competir+na+volta+da+franca.html

Bêbado andando de bicicleta sem a roda da frente

Vereadores cobram soluções para serviço de bicicletas de aluguel em Porto Alegre

Manutenção dos veículos é o principal questionamento feito à empresa Serttel

26/06/2014 | 14h12
Vereadores cobram soluções para serviço de bicicletas de aluguel em Porto Alegre Tadeu Vilani/Agencia RBS
Serviço está em funcionamento desde setembro de 2012 na CapitalFoto: Tadeu Vilani / Agencia RBS
Sucesso de público, com mais de 500 mil viagens em menos de dois anos, o serviço de aluguel de bicicletas em Porto Alegre passa por questionamentos, principalmente, por causa da manutenção dos equipamentos. Reportagem de Zero Hora publicada no começo de junho após um teste realizado ao longo de duas semanas constatou que 80% das 38 estações ativas naquele período — a do Planetário estava temporariamente desativada — tinham algum problema. Motivada pela matéria, a Comissão de Defesa do Consumidor, Direitos Humanos e Segurança Urbana (Cedecondh) da Câmara Municipal convocou a concessionária do serviço, a Serttel, e a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) para explicarem a situação. A reunião foi realizada na manhã desta quinta-feira na Câmara.
Gerente de Operações da empresa no Sul e no Sudeste, Vagner Silva da Rosa defendeu o atual formato da manutenção feita nas bicicletas e estações. Hoje, duas equipes com dois técnicos cada uma cuidam dos 39 pontos de aluguel que integram o BikePoa e suas cerca de 400 bikes. Uma equipe trabalha das 6h às 18h e a outra, das 10h às 22h, quando o sistema deixa de operar. Ele nega que o vandalismo seja o maior responsável pelo mau estado das bicicletas.
— O índice de vandalismo nos surpreendeu positivamente em Porto Alegre, é quase zero. A causa (dos estragos em bikes e estações) é o desgaste da utilização, que é igual ao de outras cidades. A manutenção é suficiente. Os técnicos vão em todas as estações, mas muitas bicicletas estão com os usuários naquele momento — explica.
 
Reunião sobre o BikePOA foi realizada na Câmara Municipal
Foto: André Mags

Rosa foi cobrado pelos vereadores para que a empresa apresente indicadores sobre estragos e manutenção, entre outros itens, o que ele não tinha na manhã de hoje — ele disse que houve pouco tempo hábil para obter os dados desde a marcação da reunião, na semana passada. Ficou acertado que a Serttel prestará as informações.
Outra requisição é sobre o aporte publicitário: quanto o patrocinador, o banco Itaú, paga e qual o percentual sobre o ganho total da empresa. O objetivo é dar uma noção se a manutenção poderia receber mais investimentos, conforme o lucro obtido pela Serttel. Ainda não há uma data certa para a empresa fornecer as informações.
Clique nas estações do mapa para ver o relatório da visita de Zero Hora
Sugestões ajudarão a compor o edital para licitação
A Serttel ainda tem um ano e meio para operar o BikePOA. Depois, deverá ser realizada uma nova licitação. O gerente de Projetos e Estudos de Mobilidade da EPTC, Antonio Vigna, acredita que o tempo é suficiente para compor o edital com sugestões, que já surgiram na reunião desta quinta. No entanto, não descarta uma renovação do contrato com a Serttel, caso haja atraso para colocar o edital na rua ou seja preciso mais tempo para continuar testando o serviço.
— Assim que terminar a Copa, começaremos a pensar na licitação — afirmou Vigna.
Diversas sugestões surgiram no encontro. Representante da Associação pela Mobilidade Urbana em Bicicleta (Mobicidade), Marcelo Kalil listou algumas das necessidades levantadas pela ONG, como uma opção ao uso de cartão de crédito (o cartão TRI, um depósito em dinheiro ou um passe com viagens limitadas são algumas das ideias).
— O sistema tem que ser confiável para funcionar. Tem relatos de pessoas que chegaram a uma estação e havia bicicletas sem condições de uso. Há usuários que desistiram do sistema, e isso é ruim porque dá uma imagem de que o serviço não é confiável — argumentou Kalil.
Já o português Fernando Dionísio representou os deficientes auditivos e pediu uma solução de comunicação para esse público, que poderá ser incluída no edital: o uso de mensagens de celular entre o usuário e o atendimento da Serttel.
 
Português falou sobre a dificuldade dos deficientes auditivos
Foto: André Mags

Também participaram da reunião os vereadores petistas Marcelo Sgarbossa e Alberto Kopittke (presidente da Cedecondh), Fernanda Melchionna (PSOL) e Mario Fraga (PDT). Uma das sugestões apoiadas por eles foi a criação de um conselho de usuários do BikePOA.
— Os números mostram que Porto Alegre adotou o BikePOA. Não há vandalismo, (o que causa o mau estado dos equipamentos) é falta de manutenção — apontou Sgarbossa.
As principais sugestões para o sistema de aluguel de bicicletas:
— Integração a outros modais de transporte com o cartão TRI
— Melhorar a acessibilidade com a utilização de mensagens de celular na comunicação entre o usuário e o atendimento da empresa e instalação de bicicletas adaptadas, como as handbikes (movidas pelas mãos)
— Criação de um conselho de usuários
— Instalação de estações de pequenos reparos para bicicletas e de bombas para encher pneus
— Serviço de recolhimento da bike se ela estragar, indo até o usuário para que ele não precise se locomover até uma estação (o item é motivo de projeto de lei do vereador Kopittke)
— Expansão do sistema, com estações nas zonas Norte e Sul — Vigna sugere que o melhor é primeiro adensar as estações para reduzir as distâncias entre eleas a menos de 300 metros, o que resultaria em mais de cem pontos de aluguel de bicis
— Funcionamento 24h (hoje o serviço para às 22h por causa da segurança)
Leia também
Ciclovia da Sertório prevê trechos sobre a calçada
http://zh.clicrbs.com.br/rs/porto-alegre/noticia/2014/06/vereadores-cobram-solucoes-para-servico-de-bicicletas-de-aluguel-em-porto-alegre-4536648.html

terça-feira, 24 de junho de 2014

Beijineses pedalam para um futuro mais limpo e saudável

  2014-06-24 22:20:08  cri
Com mais de 20 milhões de moradores e 5,5 milhões de veículos, a capital chinesa, Beijing, está à beira da paralisia, com as ruas se tornando estacionamentos e os trens de metrô, latas de sardinhas.
  Porém, uma legião de ciclistas que usam este meio para ir e voltar do trabalho pode oferecer um pouco de alívio para a cidade super-inflada.
  A cidade adotou um novo sistema de bicicletas públicas em junho de 2012 com 2 mil veículos colocados em serviço em dois distritos da cidade. Este ano, estações de bicicletas públicas estão surgindo em todos os cantos da cidade.
  Cerca de 130 mil moradores da capital chinesa se inscreveram para o serviço e agora há 25 mil bicicletas públicas em toda a cidade.
  Depois de pagar um fundo de 200 yuans (US$ 32), reembolsável, as pessoas agora podem pedir emprestado as bicicletas por uma hora, de graça, ou ao preço de 1 yuan por hora depois da primeira hora. As bicicletas podem ser pegas em uma estação e devolvida em outra.
  O ciclismo pode ajudar a aliviar os problemas da cidade. Mais ciclistas significa menos congestionamento de trânsito e melhor qualidade do ar. As bicicletas já foram alugadas por quase 10 milhões de vezes, uma média de quatro vezes por dia para cada bicicleta. Segundo as autoridades, haverá 50 mil bicicletas nas ruas até o fim de 2015.
  Para os moradores que usam transporte público para ir e voltar do trabalho, o tempo gasto nos ônibus e metrô representa apenas 40% do tempo total gasto na viagem. Por isso, bicicleta pode ser um meio ideal para eles chegarem às estações de ônibus ou metrô.
  Beijing também é uma cidade plana, e suas ruas geralmente têm amplas ciclovias, as quais oferecem vantagem para andar em bicicletas.
  Já em 2005, a cidade começou a criar o sistema de bicicletas públicas, mas operadas por empresas privadas. Durante os Jogos Olímpicos de Beijing 2008, a procura por este serviço foi enorme entre os turistas e visitantes. Mas a iniciativa morreu devido ao apoio mínimo do governo e altas taxas de aluguel.
  "Agora o serviço é muito melhor e o governo é o principal operador", disse Wu Jun, um dos primeiros usuários do serviço.
  No entanto, a grave poluição do ar em Beijing é um fator desfavorável para os amantes do ciclismo. "Não vou arriscar minha saúde ao usar bicicletas em dias com smog (mistura de fumaça e neblina causada pela poluição)", disse um usuário.
Por Xinhua
http://portuguese.cri.cn/1721/2014/06/24/1s185860.htm

Depois de Barcelona e Paris, bicicletas públicas invadem Madri

BiciMad terá à disposição de moradores e turistas 1.500 bicicletas elétricas.
Barcelona, 2ª cidade espanhola, desde 2007 funciona um sistema similar.

23/06/2014 16h15

Da France Presse
Mulher pega bicicleta em local de aluguel em Madri, nesta segunda-feira (23) (Foto: Gerard Julien/AFP)

As bicicletas públicas invadiram Madri, esta segunda-feira (23), com a intenção de abrir espaço no denso tráfego de automóveis da capital espanhola, seguindo os passos de outras cidades europeias, como Barcelona, Paris e Londres e também cidade latino-americanas como o Rio de Janeiro.

"Está bem, um pouco pesada, mas levando em conta que é uma bicicleta elétrica, é o preço a pagar. Nos sinais de trânsito, quando se acelera, o primeiro impulso é perceptível", explica Miguel Ángel Delgado, um madrilense de 49 anos, após dar as primeiras pedaladas nas novas BiciMad.

Odiada pelos taxistas, a ideia parece seduzir usuários e autoridades locais, que comemoram ter compensado o atraso com relação a outras capitais europeias, colocando à disposição dos moradores e turistas da capital espanhola mais de 1.500 bicicletas elétricas.

"Esta mudança cultural deve ocorrer pouco a pouco. É uma realidade em muitas cidades europeias", disse nesta segunda-feira a prefeita conservadora de Madri, Ana Botella, após testar uma das bicicletas.

Em Barcelona, segunda cidade espanhola, desde 2007 funciona um sistema similar e o sucesso é indiscutível com 6.000 bicicletas, 420 postos e 92.000 assinantes. As outras três principais cidades espanholas - Valencia, Sevilha e Zaragoza - também têm bicicletas públicas.

'Nossa cidade é de todos e para todos. Temos que conviver com respeito entre motoristas, pedestres e ciclistas, temos que conviver', acrescentou a prefeita, desejando que este projeto anime a deixar o carro em casa e ajude a reduzir a contaminação.

A escolha das bicicletas elétricas, explicou, pretende ampliar o perfil dos usuários, alguns dos quais poderiam desistir a utilizá-las pelos muitos custos da cidade.

Mas Madri, com poucos quilômetros com uma verdadeira ciclovia, muitas ruas estreitas e lotadas de carros, pode precisar de um tempo para aprender a conviver com este novo modo de transporte.

'Vai haver problemas e vai haver incidências, que serão resolvidas pelo nosso esforço', disse Miguel Vital, diretor da BonoPark, a sociedade que administrará o serviço.

Extremamente perigoso
Esperando passageiros em frente à prefeitura de Madri, um taxista de 45 anos, Juan Carlos Gordillo, mostra suas dúvidas sobre o projeto.
'Os motoristas terão muitos problemas. Nenhum está acostumado aos ciclistas. Será mais perigoso', reclamou.
'Será para nos acostumarmos todos, nos impuseram e teremos que nos adaptar', acrescentou.
Segundo Pascual Berrone, professor da escola de comércio IESE Business School, autor de um estudo sobre desenvolvimento urbano, os espanhóis gostam da ideia de circular de bicicleta, mas têm reticências em Madri por razões de segurança.
'Há áreas em que é relativamente fácil circular de bicicleta, mas há áreas em que é extremamente perigoso. Muitas vezes dá medo andar de bicicleta em Madri', explicou à AFP antes do lançamento da BiciMad.
A capital espanhola, que costuma sofrer com picos de contaminação relacionados com a circulação automobilística, tem atualmente 320 quilômetros de ciclovia ou vias adaptadas, segundo a prefeitura, que pode adicionar outros 70 km.
Segundo Ana Botella, a circulação de bicicleta em Madri aumentou 17% entre 2012 e 2013. Para fazer frente a esta demanda, a cidade instalou 123 postos no centro da capital para as 1.560 bicicletas elétricas disponíveis.
O preço para usá-las vai variar entre um e quatro euros, em função de se tratar de um assinante ou um usuário ocasional.
Protegendo-se do sol na sombra das árvores de uma avenida próxima ao grande parque do Retiro, bem ao lado de um dos postos, Miguel Ángel Delgado está disposto a recuperar sua bicicleta, cujo futuro não lhe parece claro nesta cidade.
'Madri é uma cidade um pouco peculiar, com pouca implantação de bicicletas. Ninguém sabe se será um sucesso ou um fracasso', admite.
http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/06/depois-de-barcelona-e-paris-bicicletas-publicas-invadem-madri.html

Alberto Contador retoma a liderança do ranking UCI

 jun 24, 2014  Ciclismo


Contador na última etapa da Critérium du Dauphiné
Contador com a camisa de líder na última etapa da Critérium du Dauphiné
Do Bikemagazine
Foto de divulgação
Com as provas Critérium du Dauphiné e Tour da Suíça cumpridas, vem aí o Tour de France, que começa dia 5 de julho. Após 17 competições World Tour na temporada 2014, o espanhol Alberto Contador (Tinkoff-Saxo) volta a liderar o ranking UCI e reforça seu status de favorito para a competição na França.
Contador havia perdido a liderança no ranking individual depois que o colombiano Nairo Quintana (Movistar) vencer o Giro D’Itália. Mas, com o 2º lugar da Dauphiné, passou para 397 pontos, enquanto Quintana permaneceu com 345.
A 3ª vitória consecutiva no Tour da Suíça levou o campeão mundial, o português Rui Costa (Lampre-Merida) a subir 12 posições no ranking. Rui Costa é agora o 3º, com 268 pontos.
TOP 10
1 – Alberto Contador (ESP) Tinkoff-Saxo 397 pontos
2 – Nairo Quintana (COL) Movistar 345
3 – Rui Costa (POR) Lampre-Merida 268
4 – Simon Gerrans (AUS) Orica-GreenEdge 264
5 – Fabian Cancellara (SUI) Trek Factory Racing 262
6 – Alejandro Valverde (ESP) Movistar 262
7 – Michal Kwiatkowski (POL) OmegaPharma-QuickStep 251
8 – Niki Terpstra (HOL) OmegaPharma-QuickStep 200
9 – Sep Vanmarcke (BEL) Belkin Pro Cycling 200
10 – Peter Sagan (ESL) Cannondale 197
http://www.bikemagazine.com.br/2014/06/alberto-contador-retoma-a-lideranca-do-ranking-uci/

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Nunca é tarde para aprender a andar de bicicleta

Ser adulto e não saber andar de bicicleta é normal, embora incomum. A maioria das pessoas pedalou muito quando criança e nunca desaprendeu totalmente. Se essa atividade não fez parte da sua infância, saiba que é um ótimo exercício e, cada vez mais, um meio de transporte. Vale a pena aprender e superar os eventuais bloqueios — a principal barreira costuma ser psicológica (o trauma deixado por uma queda, por exemplo).

Márcio Padilha, coordenador do projeto Brasília Amiga da Bike, explica as etapas do aprendizado. “O primeiro passo é vencer o medo. Depois, ensinamos como ter equilíbrio e, por último, damos aula em grupo para ensinar a ter habilidade nas ruas, no trânsito e em locais com obstáculos.” Segundo Padilha, quatro aulas costumam ser o suficiente para o aluno conquistar autonomia.

A paciência do instrutor é fundamental se a pessoa “trava” diante do desafio. Adultos e crianças são bem diferentes nesse aspecto. “Os primeiros têm um pouco mais de dificuldade por terem os músculos já programados e, às vezes, carregarem um bloqueio emocional. A criança é naturalmente destemida”, explica o professor de bike Phillip James Fiuza.


A recomendação é: não tenha medo de cair nem se sinta constrangido. A pedagoga Lorena Ribeiro, 48 anos, aprendeu a andar de bicicleta só há sete anos. Por ter caído e se machucado na infância, não quis mais saber de pedalar. O choque fez com que ela se afastasse de toda atividade física. Só decidiu rever seus conceitos após muito conversar com um amigo que é personal trainer. “Eu tinha vergonha por causa da idade, mas esse amigo se dispôs a me ensinar. Foram 10 aulas e já saí pedalando”, conta. “Hoje, tenho uma vida mais saudável e me exercito de várias formas”, comemora.

Além de divertido, andar de bicicleta trabalha os membros inferiores e previne varizes. “Pode trazer muitos benefícios para os músculos inferiores e tratar problemas circulatórios. O coração periférico (panturrilha) é bem trabalhado. Para quem tem problemas de varizes e pernas inchadas, é fundamental“, explica o angiologista Antonio Carlos de Souza, especialista em cirurgia vascular.

Mente e corpo se beneficiam da prática. Segundo o psicólogo Alexandre Valle, há um ganho no metabolismo e em aspectos emocionais. “O momento da pedalada propicia reflexão. É uma atividade simples, mas que pode ajudar no combate à depressão e ao transtorno de ansiedade”, diz o psicólogo. Contudo, antes de aderir à bike, não deixe de consultar um médico. Ele lhe pedirá exames para aferir aptidão física. Manter-se hidratado durante os passeios também é essencial.

A magrela ideal
Para escolher a bicicleta certa, você deve prestar atenção em alguns detalhes. Primeiro, teste a bicicleta. Tenha certeza de que você pode encostar o pé no chão e prefira modelos que não tenham aquela barra vertical entre as pernas.
Pessoas acima do peso devem comprar bicicletas mais resistentes. O modelo mais bonito não necessariamente é o melhor. Ela deve ser leve e com aros fortes.
Outro ponto importante é o preço. Não existe bicicleta “baratinha”. Na hora da compra, pense nos benefícios e não economize. O barato pode sair caro. Comprar uma bicicleta usada pode ser uma boa opção.

Bons motivos para aprender pedalar
- Faz bem à saúde
- Trabalha a musculatura inferior
- Relaxa
- Pode servir como meio de transporte

Postado por: DiariodePernambuco.com.br

http://boainformacao.com.br/2014/06/nunca-e-tarde-para-aprender-a-andar-de-bicicleta/

Artesão monta bicicleta estranha para homenagear a seleção de Gana

Carregando imensa bandeira ganesa, Wilson diz que agradece africanos por terem escolhido Maceió como base de treinamentos.Ele espera ganhar camisa da seleção

Por Denison RomaMaceió

Os alagoanos estão demonstrando cada vez mais carinho e admiração pela delegação de Gana durante a Copa do Mundo. E o artesão Wilson Costa arrumou uma maneira diferente de homenagear os africanos, que escolheram a capital alagoana como subsede no Mundial. Montado em uma bicicleta com cerca de dois metros de altura e com cinco rodas, fabricada por ele mesmo, como faz questão de ressaltar, Wilson desfila pelas ruas de Maceió carregando uma imensa bandeira ganesa, e chama a atenção por onde passa.



Wilson Costa costuma ficar na entrada do hotel onde a delegação de Gana está hospedada (Foto: Denison Roma / GloboEsporte.com)

Em contato com o GloboEsporte.com, o artesão, que trabalha com material oriundo do coco, explicou o motivo de prestar essa homenagem aos Estrelas Negras.

- Essa foi uma forma que escolhi para retribuir o fato deles terem escolhido Maceió para ficar como subsede durante a Copa do Mundo. E a minha escolha foi bem reconhecida. Eles quando chegaram no hotel e viram, gostaram bastante. E até me prometeram uma camisa da seleção de Gana. Desde o dia em que eles chegaram, eu sempre vou à porta do hotel, como forma de prestigiá-los.

- Várias pessoas perguntam: "Por que você carrega a bandeira do Brasil num tamanho menor que a [bandeira] de Gana?" E eu respondo: "Quando é dia de jogo do Brasil eu faço o inverso. Coloco a do Brasil maior que a de Gana. A torcida brasileira fala mais alto".Wilson disse ainda que alguns torcedores da seleção brasileira chegam a criticá-lo pelo fato de carregar a bandeira do país africano em tamanho maior que a do Brasil, mas ele se defende.

Perguntado sobre a campanha dos Black Stars até agora no Mundial do Brasil, Wilson lamentou o empate diante da Alemanha, mas afirmou que ainda confia na classificação dos ganeses para as oitavas de final.


Artesão elogia meio-campista Muntari (Foto: Denison Roma / GloboEsporte.com)

- Eles jogaram bem até agora. No primeiro jogo eles não estiveram tão bem, o que é natural para qualquer seleção, até porque era estreia. Já na partida contra a Alemanha eles foram muito bem. Pena que tomaram o gol e cederam o empate. Mas ainda acredito que eles conseguem se classificar sim.
Vestido com a camisa com o número 11, de Muntari, Wilson destacou também a simpatia pelo craque do Milan.
- Ele [Muntari] é muito gente boa. O fato dele ter feito uma visita a comunidade no entorno do [Estádio] Rei Pelé, tirado fotos, distribuído autógrafos e até mesmo dinheiro para os moradores mostra que ele, além de bom jogador, é um grande ser humano.

http://globoesporte.globo.com/al/copa-do-mundo/noticia/2014/06/artesao-monta-bicicleta-estranha-para-homenagear-selecao-de-gana.html

SP estuda criar empréstimo de 50 mil bicicletas

São Paulo poderá ter sistema público de compartilhamento de bicicletas, semelhante ao de cidades como Barcelona. Serviço deve ser debitado do Bilhete Único
Caio do Valle, do
Sistema de aluguel compartilhado de bicicletas em Barcelona, o Bicyng
Sistema de aluguel compartilhado de bicicletas em Barcelona, o Bicyng
São Paulo - A cidade de São Paulo pode ganhar um sistema público de compartilhamento de bicicletas, à maneira do que existe em outras metrópoles, entre as quais Barcelona, na Espanha. O secretário municipal dos Transportes, Jilmar Tatto, disse ontem que a Prefeitura planeja enviar à Câmara Municipal um projeto de lei autorizando a concessão desse serviço à iniciativa privada. Segundo o dirigente, ao menos 50 mil magrelas deverão ser oferecidas à população, que só precisaria do Bilhete Único para utilizá-las.
Hoje em dia, a capital paulista conta com redes particulares de aluguel de bicicletas como o Bike Sampa, gerenciada pelo Itaú, Samba e Serttel, com cerca de 1,5 mil equipamentos, e o CicloSampa, da Bradesco Seguros, com 129. No futuro modelo, as diretrizes para a instalação dos equipamentos e a distribuição dos pontos de estacionamento das bicicletas passará a ser premissa do próprio poder público. A intenção é espalhar o serviço por toda a cidade, e não apenas em áreas centrais, como nos dois sistemas em operação.
Outro diferencial é que o serviço deverá ser debitado do próprio Bilhete Único. No Bike Sampa, o cartão de transportes pode até ser usado em parte das estações, mas precisa estar vinculado a um número de cartão de crédito, por meio de um cadastro prévio feito no site da rede. Por meio da concessão, a ideia é que a oferta de magrelas se torne complementar à ampliação da malha cicloviária na capital paulista, prevista para ultrapassar 400 km até o final de 2015.
Tatto acredita que o projeto, ainda em gestação na Secretaria Municipal dos Transportes, seja encaminhado ao Legislativo no segundo semestre deste ano. A iniciativa, segundo ele, é do próprio prefeito Fernando Haddad (PT). Outras pastas, como a de Desenvolvimento Urbano e a do Verde e do Meio Ambiente, ainda precisam avaliar a questão. Depois, o material segue para a Secretaria Municipal de Governo, de onde será despachado para os vereadores. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/sp-estuda-criar-emprestimo-de-50-mil-bicicletas

É preciso deixar caução de 500 euros para usar bicicletas/Portugal

Publicado às 00.00

ANA TROCADO MARQUES

Pagar caução é obrigatório, para quem quiser usar as novas bicicletas comunitárias de Vila do Conde, as BiConde. O preços é polémico: o utente frequente paga 100 euros, o turista 500 euros. O aluguel é 0,50 euros a cada 15 minutos.
foto JOSÉ MOTA/GLOBAL IMAGENS
É preciso deixar caução de 500 euros para usar bicicletas
Bicicletas de Vila do Conde
Os utilizadores frequentes têm de deixar um cheque, os turistas devem usar o cartão de crédito. Mas alguém usará as bicicletas com tais condições? O regulamento de utilização foi esta semana aprovado pela maioria PS na Assembleia Municipal de Vila do Conde - mas houve uma chuva de críticas.
"Vamos obrigar um turista, para andar duas horas de bicicleta, a deixar uma caução de cartão de crédito de 500 euros? Parece que está a alugar um carro!", diz Pedro Martins, deputado da CDU. O comunista "simpatiza" com o projeto, mas admite que, "com cauções destas, não vai ter sucesso". Já para não falar que "muitos não têm cheques, nem cartões de crédito", pelo que não poderão usar as BiConde, argumenta.
Ler mais na versão e-paper ou na edição impressa
http://www.jn.pt/paginainicial/pais/concelho.aspx?Distrito=Porto&Concelho=Vila%20do%20Conde&Option=Interior&content_id=3983823

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Ciclovia da orla da Lagoa da Pampulha será reformulada logo após a Copa

A reformulação foi discutida na Câmara Municipal, em audiência pública
Estado de Minas
Publicação: 17/06/2014 08:42 Atualização: 17/06/2014 08:55
Atualmente, as ciclovias cobrem os 18 quilômetros da orla da Pampulha. Em 11 quilômetros, o espaço destinado para os ciclistas fica na mesma altura do passeio, nos outros sete, os ciclistas ficam na rua em uma pista exclusiva ao lado dos carros
A ciclovia da orla da Lagoa da Pampulha será reformulada logo após a Copa do Mundo. A Prefeitura de Belo Horizonte enfrentou críticas por causa do formato escolhido para o espaço reservado aos adeptos do pedal - atualmente às margens da rua, próximo a passagem dos carros. Este é o principal ponto questionado pelos ciclistas que apontam a falta de educação de alguns motoristas, aumentando os riscos de acidentes.

As propostas de reformulação da ciclovia foram debatidas na Câmara Municipal, nessa segunda-feira, em audiência pública promovida pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Transporte e Sistema Viário, por requerimento do vereador Pablo César “Pablito” (PV).

Entre os problemas apontados por ciclistas estão desgaste na sinalização, existência de bueiros com grelha vertical e de blocos de concreto separando a ciclovia da rua (estruturas que favorecem quedas), além das dimensões limitadas da largura da pista, que em alguns trechos torna impossível a passagem de duas bicicletas ao mesmo tempo.
Os vereadores Adriano Ventura (PT) e Pablito defenderam a requalificação do espaço, uma vez que a adequação da infraestrutura afeta a segurança de pedestres e ciclistas. Para Ventura, a situação ideal envolveria, inclusive, a reconstrução, do zero, de partes importantes das vias.
Atualmente, as ciclovias cobrem os 18 quilômetros da orla da Pampulha. Em 11 quilômetros, o espaço destinado para os ciclistas fica na mesma altura do passeio. No restante do percurso, no entanto, em as bicicletas devem andar no mesmo nível do asfalto, sendo separadas da pista de rolamento por blocos de concreto. Nesse ponto, os acidentes ocorrem com frequência, sobretudo nos dias de maior fluxo.

Resposta da prefeitura
Para fazer frente ao problema, uma das possíveis soluções seria a elevação das ciclovias, que passariam a ficar, em todo entorno da lagoa, na altura do passeio. Segundo representantes do Executivo, que estiveram na audiência, a proposta é que as obras se iniciem depois da Copa do Mundo.

Antes, no entanto, a Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) precisa realizar estudos para desenvolver o projeto da intervenção, cujo planejamento e implementação será realizada em parceria com a BHTrans e a Regional Pampulha.

Ciclistas de alta performance

Além de ser usada para passeio de ciclistas e pedestres, a orla da lagoa recebe, há décadas, ciclistas de alta performance, que treinam às margens da represa. Atletas que fazem uso da pista de rolamento reclamam da falta de respeito de motoristas, o que agrava o risco de acidentes.

Segundo a prefeitura, placas de sinalização que explicam que faixa é usada por ciclistas em treinamento foram colocadas no local e novas serão instaladas. Além disso, uma campanha educativa será desenvolvida após a criação do projeto que vai modificar a infraestrutura cicloviária da região.
http://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2014/06/17/interna_gerais,540022/ciclovia-da-orla-da-lagoa-da-pampulha-sera-reformulada-logo-apos-a-copa.shtml

Bike Brasília já tem 13 mil pessoas cadastradas

Segundo o GDF, número de viagens já passa de cinco mil

Da Agência Brasília
Cem bicicletas estão em 10 estações ao longo do Eixo MonumentalBrito/Arquivo/Agência Brasília
Em menos de um mês em funcionamento, o projeto Bike Brasília já tem 13 mil pessoas cadastradas. Até agora, foram realizadas mais de 5 mil viagens, segundo a Secretaria de Governo. Ao todo, são cem bicicletas, distribuídas em 10 estações em pontos estratégicos do Eixo Monumental.
A previsão é que mais cem "magrelas" sejam colocadas à disposição do público ainda este mês. Segundo o governador Agnelo Queiroz, a ação faz parte de uma política de mobilidade que prioriza o transporte público.
— Estamos promovendo uma mudança cultural no DF, com cidadãos que passam a respeitar e a utilizar os vários modais de transporte em conjunto.
O governador anunciou um edital para a instalação de 7 mil paraciclos (estacionamentos para bicicletas privadas) em todo o Distrito Federal. Até o fim do ano, serão 40 estações e 400 bikes à disposição em diversas regiões do DF.
As estações já entregues, na área central de Brasília, vão facilitar o deslocamento dos torcedores durante a Copa do Mundo, no acesso ao Estádio Nacional de Brasília e a outros monumentos do DF. Só não será possível utilizá-las no perímetro imediato do estádio, em área de acesso restrito.
O administrador Leonardo de Araújo, 33 anos, acredita que a iniciativa contribui para a popularização das bikes na capital.
— Dá para ir do Plano até o Guará, Taguatinga. Isso era impossível há quatro, cinco anos. Espero que as bicicletas públicas tragam mais pessoas para o esporte.
Além do serviço de aluguel das bicicletas, o ciclista pode baixar, no celular, o aplicativo gratuito Ciclovida DF, onde é possível conferir informações sobre a malha cicloviária. Com ele, o usuário pode registrar o próprio circuito por GPS e verificar o mapa de vias para andar de bike na capital.
http://noticias.r7.com/distrito-federal/bike-brasilia-ja-tem-13-mil-pessoas-cadastradas-17062014-1

terça-feira, 17 de junho de 2014

Paris lança versão infantil de sistema de bicicletas gratuitas

Modelo infantil do sistema de bicicletas gratuitas de Paris.
Modelo infantil do sistema de bicicletas gratuitas de Paris.
Twitter/ @vincentmichelon

RFI
A Prefeitura de Paris lança nesta quarta-feira (18) a versão mirim do sistema de bicicletas gratuitas. O serviço, porém, será restrito a alguns pontos da capital francesa.

A partir dessa quarta-feira (18), os pequenos parisienses também poderão desfrutar do sistema de serviço gratuito de empréstimo de bicicletas de Paris. Batizado de “Petit Vélib” (pequeno Vélib, em português), o serviço estará disponível para crianças de 2 a 10 anos. As bicicletas apresentam o mesmo design da versão para adultos, incluindo a cestinha. Para cada faixa etária, porém, foram feitas adaptações.
Para as crianças entre 2 e 4 anos, existem modelos sem pedais e sem correntes ou uma versão tradicional com ou sem rodinhas. Já, para crianças entre 8 e 10 anos, a empresa que administra o sistema oferece um tamanho maior de bicicleta.
Nessa etapa de lançamento, 300 bicicletas estarão disponíveis. Diferentemente do sistema para adultos, as crianças não poderão circular por toda a cidade. As versões infantis estarão disponíveis nos parques Bois de Boulogne, Bois de Vincennes, às margens do canal Ourcq, em algumas margens do Sena fechadas para pedestres e em uma área verde do 12° distrito. Segundo a Prefeitura de Paris, essas áreas são consideradas seguras para os pequenos ciclistas.
O Vélib foi inaugurado em julho de 2007. Hoje existem cerca de10 mil bicicletas e 750 estações automatizadas em Paris e algumas cidades vizinhas. A primeira meia hora de uso é gratuita. Após esse período, é cobrada uma taxa que varia de acordo com o tempo de uso.
http://www.portugues.rfi.fr/geral/20140617-prefeitura-de-paris-lanca-versao-infantil-de-sistema-de-bicicletas-gratuitas

Gelo baiano pode ser retirado / Lagoa da Pampulha

PUBLICADO EM 17/06/14 - 03h00
Depois do encontro, a BHTrans informou, por meio de nota, que “um estudo de adequação da ciclovia da orla da Pampulha será iniciado após a Copa”. Conforme o supervisor de projetos da autarquia, Mauro Luiz Cardoso, o objetivo é avaliar o custo para alargar a calçada de todo o entorno da lagoa. Segundo o secretário de administração Regional Pampulha, Humberto Abreu Júnior, isso permitiria a integração da ciclovia com o passeio e a retirada dos gelos baianos. Reportagem de O TEMPO publicada no dia 30 de abril mostrou que os blocos de concreto e as pistas estreitas potencializam o risco de acidentes.

Mais alterações. De certo para a ciclovia da orla da lagoa, foi anunciado que um trecho de 500 metros será alargado depois da Copa do Mundo. Segundo Cardoso, a pista na altura da Barragem da Pampulha ganhará novos 2,5 metros. O supervisor explicou que o objetivo é separar o trafego de pedestres e de ciclistas e que, recentemente, toda a pista passou por melhorias e recebeu sinalização horizontal. Dois trechos, totalizando 1 km, também foram alargados, passando de 1,3 para 1,8 metros.

Para o integrante do movimento BH em Ciclo Guilherme Tampiere, as melhorias já implementadas são bem-vindas, porém insuficientes. “Elas poderiam ser mais rápidas. Em vários trechos, a largura é muito pequena, impedindo que as pessoas cruzem em sentidos opostos”.
fonte:http://www.otempo.com.br/cidades/gelo-baiano-pode-ser-retirado-1.866228