sexta-feira, 9 de maio de 2014

Os favoritos do Giro d'Italia 2014



Na véspera do 97 º Giro d'Italia  , que começa em Belfast, Irlanda do Norte nesta sexta-feira, os favoritos para a maglia rosa  estavam todos presentes na pré-conferência de imprensa na quarta-feira realizada na Prefeitura de Belfast.

Nairo Quintana ( Movistar ), Joaquim Rodríguez ( Katusha ), Cadel Evans (BMC ), Michele Scarponi  ( Astana ), Rigoberto Uran ( Passo Omega Pharma-Quick ) e Nico Roche ( Tinkoff-Saxo ) assistiu a uma conferência de imprensa, enquanto os velocistas deste ano do Giro,  Marcel Kittel (Giant-Shimano ), Nacer Bouhanni ( FDJ ), Diego Ulissi ( Lampre-Mérida ) e Dan Martin ( Garmin-Sharp ), participaram antes de um contra-relógio por equipe 21,7 km de amanhã em torno de Belfast, que se inicia no Museu Titantic .

Na conferência de imprensa, o favorito Quintana afirmou que seria um Giro aberto. "As chaves para a rota? Na Irlanda, já temos que se preocupar,  isso não é de perder o Giro aqui. Então, podemos tentar abrir as vantagens  nas etapas de alta montanha, quando a corrida  volta para a Itália,"  disse Quintana.

"É uma corrida muito aberta, e sorte será o grande fator como sempre. Há escaladores, também, que não estão presentes aqui [na conferência de imprensa de abertura] e com certeza eles vão fazê-lo bem, também ".

Para Evans, a temporada  sobre o Giro  tem boas lembranças do grand tour italiano. "Para mim, a nível pessoal, o Giro foi a primeira grande prova que eu fiz em 2002 e agora em um nível profissional, a equipe quer que eu faça o Giro e não o Tour, então, obviamente, aqui estou eu no Giro, ", disse Evans.

"Mas em um nível pessoal, tudo bem para mim.  Eu não sei se eu vou correr o Tour novamente , mas independentemente de eu fazer ou não, Deixo razoavelmente satisfeitos e agora eu estou colocando minha energia para o Giro ".

Com três lugares do pódio em seus últimos quatro Grand Tours, Rodriguez sabe "é sobre o crono" , ele ganhou um. "Eu sei que eu tenho que tomar esta corrida no dia a dia, mas se há uma coisa que eu aprendi é que você não escapa um único segundo.

"Você tem que lembrar que 16 segundos são o suficiente para perder a corrida e você pode até não saber o porquê. Perdi tudo na Vuelta [2012] naquele ano em um dia, quando menos se esperava." disse Rodriguez.

"Eu queria que fosse apenas uma briga entre dois cicilstas" - Rodriguez e Quintana sendo o mais nomeado como favoritos para o sucesso geral - "mas na verdade  vai ser uma corrida muito aberta.


"A grande diferença entre este ano e 2012, a última vez que eu corri, é o tempo do crono. Em 2012,  da última vez era completamente plano. Desta vez, ambos os cronos são muito mais difíceis. É melhor para mim, mas também é melhor para os escaladores. "

Rodriguez pode finalmente ganhar o Grand Tour que lhe escapou nos últimos 14 anos? "Eu espero que sim, espero que sim", disse Rodriguez. 

 "Já estava na hora. Mas você sabe que dois e dois nunca são quatro neste esporte, em uma corrida que você pode ter a melhor forma no mundo e o melhor caminho para você no mundo e perdê-lo, e outro dia você pode pensar você está em  mau estado e que não há nenhuma maneira que você pode ter sucesso e você ganha. "
Fonte: 

--------------

Prólogo:
Sem o atual campeão, grande volta italiana promete colocar frente a frente juventude de Quintana e experiência de Purito Rodríguez
07/05/2014
Giro d'Italia acontece de 9 de maio a 1 de junho - Foto: Divulgação

Começou o Giro. Mas não pense, pelo menos por enquanto, em cidades como Nápoles, Roma ou Milão. Pela 11ª vez na história, a largada será fora da Itália.
Em sua 97ª edição, Belfast, capital da Irlanda do Norte e a quase 2.000 km de Roma, terá a honra de sediar a primeira das 21 etapas da competição. Na sequência, os 198 ciclistas das 22 equipes ainda passarão mais dois dias na ilha a oeste da Inglaterra cruzando, na 3ª etapa, a fronteira que divide a Irlanda do Norte e a Irlanda.
Depois disso, um dia de descanso e voo para o sul da Itália, na região de Bari, onde acontece o início da jornada rumo ao norte do país. No caminho, passagem por 13 regiões da Bota, de Puglia ao Friuli Venezia Giulia passando por Basilicata, Calabria, Lazio, Umbria, Marche, Emilia Romagna, Liguria, Lombardia, Piemonte, Trentino Alto Adige e Veneto. No total serão 3449,9 km de pedaladas.
A última semana promete ser a mais disputada. Nos alpes italianos acontecem as cinco etapas de alta montanha da competição. Será a hora de subir, entre outros, o Passo di Gavia, o Passo dello Stelvio e o temido Monte Zoncolan, de volta ao Giro após três anos. 
A chegada está marcada para o dia 1 de junho, em Trieste, na fronteira da Itália com a Eslovênia. Mas quem estará vestindo a famosa 'maglia rosa'? Confira a seguir os principais candidatos ao título do Giro.

Image and video hosting by TinyPic
- Nairo Quintana (Colombia), 24 anos - Movistar
Apontado como 'o cara a ser batido', Nairo Quintana disputará seu primeiro Giro d'Italia. Aliás, será apenas a terceira competição de três semanas do jovem colombiano de carreira meteórica. 
Após vencer, em 2010, o Tour de l'Avenir, espécie de grande volta destinada aos jovens, o ciclista de Boyacá passou a integrar, em 2012, a gigante espanhola Movistar. A partir de então deu-se início a escalada de Quintana rumo ao sucesso. Logo em seu primeiro ano, título na Vuelta a Murcia. 
E em 2013, a consagração. Primeiro com a conquista da Volta ao País Basco. E depois com o vice-campeonato do Tour de France, quando superou os veteranos Alberto Contador e Joaquin Rodríguez e foi o único que conseguiu acompanhar (em certo momento) o ritmo alucionante de Chris Froome no Monte Ventoux. De sobra ainda levou as camisas de melhor jovem e melhor escalador e venceu em Annecy-Semnoz.
E com essas credenciais, especulou-se que Quintana voltaria em 2014 para a França como principal adversário de Froome. Mas com o intuito de dar mais experiência ao colombiano e uma última chance a Alejandro Valverde de conquistar um pódio na grande volta francesa, Quintana foi o escolhido para liderar a Movistar no Giro d'Italia como uma espécie de preparação para um futuro protagonismo no Tour de France.
Neste ano Quintana foi campeão do Tour de San Luis em janeiro, vice-campeão do Tirreno-Adriatico e quinto colocado na Volta da Catalunha. Desde então passou a treinar na Colômbia como preparação ao Giro d'Italia. Na Itália será escoltado por bons escaladores como Igor Antón, Gorka Izagirre e Jonathan Catroviejo, ex-integrantes da antiga Euskaltel-Euskadi. 
- Joaquim Rodríguez (Espanha), 35 anos - Katusha
Um dos mais condecorados ciclistas da atualidade, Joaquim "Purito" Rodríguez iniciará a busca pelo título que lhe falta - uma conquista em competições de três semanas. 
E o espanhol já esteve muito perto. Na Itália, há dois anos, uma má performance no contrarrelógio individual encerrou o sonho na última etapa. Também em 2012, liderou boa parte da Vuelta a España, mas acabou superado por Contador na 17ª etapa.
Em 2013, entrou na disputa do Tour de France mirando um lugar no pódio, que foi consolidado apenas na parte final da competição quando mostrou sua famosa explosão nas montanhas. Também no ano passado sofreu uma das suas maiores derrotas ao perder o título mundial para Rui Costa nos últimos metros.
Nesta temporada Rodríguez segue mostrando força nas montanhas como no título da Volta da Catalunha. Na sequência, ainda passou pelas clássicas das Ardenas, quando não terminou a Liège-Bastogne-Liège e ainda sofreu um acidente na Amstel Gold Race. Sua principal dificuldade serão os contrarrelógios (nesta edição serão três, sendo um por equipes).
Ao seu lado a Katusha escalou como principais gregários Daniel Moreno e Luca Paolini
- Cadel Evans (Austrália), 37 anos - BMC
Terceiro colocado no último Giro, Cadel Evans volta mais uma vez bem credenciado à competição italiano.  E nem mesmo um mal desempenho no último Tour de France, quando foi apenas o 39º, foi capaz de tirar do australiano a chance um novo título em uma competição de três semanas.
Se bem que o desejo, expresso por Evans, era de tentar um novo título no Tour de France, fato que lhe foi negado após ser anunciado que Tejay Van Garderen será o líder da BMC na França.
Assim, coube ao carismático ciclista o papel de protagonista na Itália. E sua preparação, diferentemente do ano passado, foi muito boa. Em 2014 Evans mostrou boa performance no Tour Down Under e o Tour de Omã além de vencer o Giro del Trentino, competição que serve como prévia ao Giro d'Italia (Nairo Quintana e Joaquin Rodríguez não participaram).
Outro diferencial que Evans terá nesta edição será seus companheiros. A BMC vem de uma vitória no contrarrelógio por equipes no Giro del Trentino e escalou o experiente montanhista Samuel Sanchez, que poderá ser fator determinante a favor de Evans na terceira semana.
- A esquadra italiana
Apesar de não contar com o atual campeão Vincenzo Nibali (Astana), a Itália terá em três ciclistas suas principais chances de um novo êxito: Michele Scarponi, Domenico Pozzovivo e Ivan Basso.
Scarponi, aliás, é o que levará o número 1 nas costas, uma vez que será o líder da Astana. E esta será a principal motivação do italiano de 34 anos, campeão do Giro em 2011 após a desclassificação de Alberto Contador.
Desde então foram dois quartos lugares seguidos, com participações discretas nas montanhas e uma boa melhora no contrarrelógio individual. Ao seu lado estarão os jovens Fabio Aru e Mikel Landa, dois escaladores que se destacaram no Giro del Trentino.
Outro escalador que tentará ao menos um lugar no pódio é Domenico Pozzovivo, o líder da Ag2r. Três vezes top-10 no Giro d'Italia, o ciclista de 31 anos vem de um bom desempenho na última Vuelta a España, quando foi sexto colocado e mostrou força tanto nas montanhas quanto no contrarrelógio. Nesta temporada, foi vice-campeão do Giro del Trentino.
Fechando o grupo de italianos está o experiente Ivan Basso, que aos 36 anos disputará seu 8º Giro d'Italia. Bicampeão (2006 e 2010), o ciclista da Cannondale está de volta após ser cortado da edição 2013 dias antes da largada devido um cisto. 
- Urán, Martin e poloneses.
Entre os demais ciclistas que devem figurar no top-10 e, quem sabe, lutar por um lugar no pódio estão o colombiano e atual vice-campeão Rigoberto Urán (Omega Pharma), o irlandês Daniel Martin (Garmin-Sharp) e a dupla de poloneses Rafal Majka (Tinkoff-Saxo) e Przemysław Niemiec (Lampre-Merida), ambos top-10 no Giro d'Italia 2013.
http://prologo.ativo.com/noticias/noticia/detalhes/os-favoritos-do-giro-d-italia-14





Nenhum comentário: