N/A
Bancos e pneus são alvos constantes
Projeto de transporte sustentável, o Bike Santos corre diariamente contra o vandalismo. No início do ano, 30 veículos sofreram com essa prática. Coincidentemente, os crimes foram cometidos na mesma semana.

Basta percorrer as estações para constatar que a falta de consciência de uns afeta o direito de outros. A Serttel/Samba, empresa administradora do serviço, não divulgou os itens comumente vandalizados.

Porém, A Tribuna percorreu algumas estações e notou a ausência de espelho retrovisor em boa parte das bicicletas. Bancos e pneus também são alvos constantes. Recentemente circulou pela rede social Facebook a foto de um veículo sem a roda traseira.

“Já destruíram bastante as bikes. Muitas vezes, a gente só percebe os danos quando está pedalando”, reclama a engenheira química Karina de Campos.

Como ela, o universitário Christian Souza usa diariamente o serviço e afirma que em metade das retiradas o veículo está com problemas. “É um serviço bom, que me ajuda, mas poderia estar melhor”.

Manutenção

 A Serttel/Samba afirmou que realiza diariamente a manutenção de 12% da frota, composta por 300 bicicletas. A empresa também dispõe de furgões e carros de reboque que transitam pela Cidade para corrigir falhas ocasionadas pelo desgaste natural de componentes. O motivo é que, com o volume de viagens, as bicicletas podem apresentar dificuldade mecânica.