sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Papai Noel trouxe o presente, mas os responsáveis devem ficar atentos

Myrela Moura - Diario de Pernambuco
Publicação: 25/12/2013 16:19 Atualização: 26/12/2013 10:14
Emily Louise Rodrigues, 5 anos, não esquece o capacete e outros equipamentos de segurança, mesmo andando na bicicleta de rodinhas. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press
Emily Louise Rodrigues, 5 anos, não esquece o capacete e outros equipamentos de segurança, mesmo andando na bicicleta de rodinhas. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press
Ter ganho uma bicicleta na noite de Natal era o sonho de muitas crianças. De todos os tamanhos e cores, elas agradam meninas e meninos de diferentes idades permitindo brincar ao mesmo tempo que se exercitam. Junto com os benefícios, porém, vêm também os riscos e os “papais” e “mamães noéis” que atenderam aos pedidos dos pequenos devem agora ficar atentos os riscos e equipamentos necessários para evitar acidentes que podem se transformar em dores de cabeça.

As lesões mais comuns envolvem fraturas, cortes e até mesmo dentes arrancados ou quebrados pelo impacto “Os protetores bucais anatômicos ajudam a proteger os dentes e podem ser usados a partir dos 8 anos, que é quando a dentição já está completa” recomenda o dentista Luciano Lopes. De acordo com os profissionais da área, é comum crianças precisarem de um tratamento dentário após uma colisão. Nos casos mais graves, traumatismos cranianos podem levar até mesmo a morte. A Organização Mundial de Saúde divulgou que em 2010 no Brasil 4,7 mil crianças morreram e outras 127 mil ficaram hospitalizadas vítimas de acidentes, sendo 40% delas no trânsito, seja no contexto pedestre ou como ocupante de veículo ou ciclista.

Em relação aos equipamentos de segurança, a prática – que só deve teve início após os dois anos de idade - começa com o auxilio das rodinhas para manter o equilíbrio e, por mais que os ciclistas mirins relutem, é preciso incorporar o uso do capacete na hora da diversão. “Minha bicicleta é de rodinhas, mas usocapacete, cotoveleiras e joelheiras", conta Emily Louise Rodrigues, de 5 anos, que costuma dar suas pedaladas no parque Dona Lindu. “É um exercício muito bom” afirma.
A organização não governamental Criança Segura dá algumas dicas de como proteger as crianças. É importante se certificar qual a bike ideal, observando se os pés da criança encostam no chão quando ela estiver sentada no assento, o que oferece maior equilíbrio. Os responsáveis também devem instruir a criança com algumas noções básicas de trânsito, como evitar ruas movimentadas e nunca andar pela contramão. Outra dica é relativa à manutenção da bicicleta que precisa ter a funcionalidade dos freios, a marcha o estado das correntes sempre checados.

Por fim, um último cuidado deve ser relativo ao sapato usado para pedalar, que deve ser fechado mas sem cadarços soltos que podem enroscar no pedal. Em todos as situações, vale lembrar que a vigilância de um adulto é essencial, até que as crianças desenvolvam suas próprias habilidades para estarem sozinhas.

Nenhum comentário: