sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Em Amsterdã, a regra é pedalar

Falar da capital holandesa é falar de suas bicicletas, relata leitora

Em Amsterdã, a regra é pedalar arquivo pessoal/Arquivo Pessoal
O uso de bicicletas, incentivado pelo governo local, é adotado por todas as classes sociais em AmsterdãFoto: arquivo pessoal / Arquivo Pessoal
Linda Grossi Fensterseifer
— Sim, agora!
Esta é a resposta que eu daria, sem pestanejar, se perguntassem se eu gostaria de viver em Amsterdã. Que surpresa de cidade! Que encanto de lugar!
Tive a oportunidade de conhecer a capital da Holanda em função da TCS Amsterdam Marathon, da qual meu marido, Alexandre, participou. Um exemplo de organização, estrutura e alegria entre os mais de 37 mil participantes.
Logo que cheguei, descobri porque foi criado o termo "I Amsterdam": quem lá vai, é picado pelo espírito do bem viver. A cidade é bem mais que seus canais, tamancos e tulipas. Falar de Amsterdã é falar de suas bicicletas. Antigas, com 20 marchas, coloridas, com porta bolsa, com compartimento para carregar os filhos pequenos, freio de pé ou de mão. Não interessa o tipo. Não interessa o preço. Jovens ou nem tão jovens. Ricos ou nem tão ricos. Todos têm bicicletas, todos andam de bicicleta, todos respeitam as bicicletas.
Nos anos 1970, o governo holandês passou a incentivar o uso das magrelas como meio de fugir da crise do petróleo que se instalava. Um sistema cicloviário eficiente, em harmonia com a preocupação de não aumentar o trânsito nos centros urbanos e com a consciência ambiental crescente, fez com que as bikes se tornassem a melhor forma de transporte da Holanda. Um "salve, salve" para a geografia plana da região, que não tira o fôlego de ninguém. Hoje, em menos de uma hora, é possível atravessar a capital de lado a lado. Além do exercício físico, a saúde da população também agradece pela redução das emissões de gás carbônico.
Para os turistas, nada mais prazeroso que pedalar sem destino, sentindo o vento fresco batendo no rosto. Todo o trânsito é pensado para as bicicletas: ciclovias em todas as ruas (mesmo nas avenidas mais movimentadas), semáforos especiais e estacionamentos próprios. Outro beneficio das bikes é a facilidade de poder parar para apreciar a arquitetura dos prédios (uns escorados nos outros, todos bem tortinhos), o verde do Vondelpark e o colorido do Flower Market. A atividade também ajuda a manter a forma esguia da população, pois com tantos queijos maravilhosos, com tanto doces amanteigados e com tantos stroopwafles (massa fina de waffle recheada de caramelo — deliciosos!), os quilos sempre aparecem.
E o melhor? Por apenas 7 euros ao dia, o pedalar está garantido.
Confira as fotos de bicicletas que os leitores mandaram para o Seu Olhar 
http://zerohora.clicrbs.com.br/rs/cultura-e-lazer/viagem/noticia/2013/12/em-amsterda-a-regra-e-pedalar-4355083.html

Nenhum comentário: