sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Bicicleta vendida no Brasil é uma das mais caras do mundo

Fabricantes reclamam da alta taxa de impostos, cerca de 40% do valor final.
Até domingo São Paulo é palco da maior feira de bikes da América Latina


Termina no domingo (10), em São Paulo, a maior feira de bicicletas da América Latina. No trânsito da cidade, e das grandes cidades de modo geral, os ciclistas estão tentando conquistar espaço.
E esse número poderia ser ainda maior se aqui no Brasil a bicicleta não fosse uma das mais caras do mundo.
A carga de impostos é altíssima – quase metade do preço da bicicleta. E ainda tem o perigo na disputa por espaço nas ruas.
Na feira anual de bikes, que acontece até domingo no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo, os fabricantes mostram algumas novidades que podem aumentar a segurança de quem pedala.
Aos domingos, eles ganham mais espaço em grandes avenidas. Mas durante a semana, quem pedala tem que se contentar com alguns quilômetros de ciclovias ou se arriscar entre os carros.
“De manhã, o horário que você tem para sair é muito trânsito, muito carro, muita gente apressada. Tenho muito medo”, diz um ciclista.
No ano passado, 52 morreram em acidentes de trânsito na cidade. Mas a violência no trânsito não intimida um movimento que parece sem volta: o programa de compartilhamento de bicicletas, criado há um ano e meio, está crescendo e já tem 200 mil cadastrados e registrou só em outubro 50 mil viagens. Paulistanos que pegam a bicicleta em um lugar e devolvem em outro, até 30 minutos depois.
O mercado de bikes está de olho nesse público apaixonado. A feira em São Paulo espera movimentar quase R$ 80 milhões e ganhar os ciclistas com novidades.
“Essa nossa bicicleta tem duas rodas auxiliares que você pode transportá-la como uma dessas malas que aeromoça carrega em aeroporto – mala de mão. Você puxa a bicicleta”, conta o empresário Carlos Beda.
Um equipamento apresentado na feira parece uma simples luz traseira da bicicleta, mas, na verdade, tem tudo na verdade para se tornar um aliado do ciclista que costuma disputar espaço com os carros no trânsito das grandes cidades. Isso porque ele emite raios laser no chão criando uma espécie de ciclofaixa virtual que ajuda a orientar os motoristas a manter uma distância segura do ciclista.
“Esse tipo de ciclofaixa virtual tem a vantagem de chamar a atenção do motorista porque aquilo é uma coisa diferente. Então, além de perceber a bicicleta de longe, ele ainda vai prestar bastante atenção no ciclista que está ali”, diz William Cruz, criador do projeto Vá de Bike.
Mas os fabricantes reclamam que os impostos fazem a bicicleta vendida no Brasil uma das mais caras do mundo. 
“A bicicleta, do valor final dela, 40%, 41% é a média que incide sobre a bicicleta enquanto sobre os automóveis está em 32%. É uma carga bastante mais elevada sobre a bicicleta”, afirma Marcelo Maciel, presidente da Aliança Bike.
Tricampeão mundial de manobras, que veio ao Brasil promover a categoria, Hans Rey diz que é preciso criar condições para que as ruas no Brasil fiquem cheias de bicicletas, como na Europa.
Há um projeto que tramita na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado que prevê IPI zero para as bicicletas. Os carros já contam com o incentivo do imposto reduzido.
http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2013/11/bicicleta-vendida-no-brasil-e-uma-das-mais-caras-do-mundo.html

Nenhum comentário: