segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Armstrong diz que ter usado câncer para se defender foi 'erro tremendo'

Lance Armstrong e Oprah Winfrey (Foto: AP)

07/11/2013 



Americano diz lamentar ter se defendido das acusações de doping com doença


A declaração foi dada em uma entrevista antiga, quando Lance Armstrong tinha a áurea de um herói: “Eu vi a morte de frente e eu não uso drogas”. Anos mais tarde, porém, a mentira foi exposta, e a vida daquele que era considerado o maior ciclista da história desmoronou. Agora, ao encarar todas verdades e histórias de doping que tentou esconder, Armstrong admite que errou ao usar o câncer que sofreu no testículo para melhorar sua imagem diante das acusações.
- Esses momentos em que você faria qualquer coisa para retomar isso ou dizer algo diferente. Ou simplesmente apagar. Não tem desculpas. É embaraçoso ouvir isso. Uma declaração dessas teria dado confiança à comunidade que realmente importa, a que sofre de câncer. Eles levam coisas como essas direto para o coração. Isso deu confiança para que a história fosse perfeita. Na minha cabeça, é onde o erro se multiplica por mil. Eu adoraria mudar isso, mas não posso – afirmou o ex-cliclista, em entrevista ao site “ciclingnews.com”, o mesmo para o qual havia dado a primeira declaração.
Quando a verdade foi revelada, Armstrong acabou sendo banido do esporte, além de ter perdido os sete títulos da Volta da França e o bronze olímpico, conquistado em Sydney 2000. Ele afirma que negar o doping era tudo o que poderia fazer à época, mas que isso fez com que sua queda fosse ainda mais dura.
Lance Armstrong deixou o ciclismo no início do ano em um clima de comoção e revolta. Banido do esporte por sucessivos casos de doping, o ex-ciclista perdeu todas as conquistas, patrocínios e também seu status. A decisão do Comitê Olímpico Internacional de retirar o bronze de Armstrong foi tomada em janeiro deste ano, mesmo mês em que o americano admitiu ter usado substâncias dopantes.  - A história cresceu na mídia e também ao olho do público. Era o que era. Era um sobrevivente de câncer que teve dois anos de doença vencendo o esporte mais difícil do mundo. Como você pode imaginar, eu achava que aquilo estava garantido na época. Muito foi minha culpa. Eu aceito a responsabilidade por ser tão agressivo e duro quando neguei (o doping). Foi um erro tremendo. Aquilo pegou a queda e a dobrou.  

Nenhum comentário: