quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Próximo Giro será "mais humano"


Por Stringer/Reuters
Edição de 2014, que começa em Belfast, foi apresentada esta segunda-feira
A Volta a Itália em bicicleta de 2014, apresentada esta segunda-feira em Milão, vai partir de Belfast a 9 de maio e chegar a Trieste a 1 de junho, numa edição com mais chegadas em alto, mas "mais humana" de acordo com os organizadores. O percurso da 97ª edição terá nove chegadas em alto, cinco das quais de alta montanha, e um dia de descanso extra, para os ciclistas recuperarem da transferência aérea desde Dublin, cidade onde termina o périplo irlandês do Giro.

"É um percurso nervoso como se quer no ciclismo moderno", defendeu Pier Bergonzi, um dos responsáveis do RCS, o grupo organizador.

Depois das jornadas irlandesas, o Giro ruma ao norte, sem esquecer a média montanha, antes de apresentar um contrarrelógio de 46,4 quilómetros em Piémont, na 12ª etapa. No final de segunda semana, chegam as subidas alpinas de Oropa (14.ª etapa) e Montecampione (15.ª etapa) e a homenagem ao escalador italiano Marco Pantani, que morreu há dez anos, e se coroou nesses topos.

Na terceira semana, a "corsa rosa" regressa ao Val Martello, que não chegou a ser final de etapa em 2013 devido ao mau tempo, e aos Dolomitas e dirige-se ao Monte Grappa, palco de uma crono-escalada de 26,8 quilómetros.

Se o dono final da camisola rosa ainda não for conhecido na véspera de chegada a Trieste, o Monte Zoncolan, uma das subidas mais duras do histórico da Volta a Itália, servirá para dissipar todas as dúvidas. "É um Giro mais humano, mas não mais fácil. No mapa, é um percurso para um corredor completo", descreveu o último vencedor, o italiano Vincenzo Nibali, que apontou o contrarrelógio como o dia chave para definir o vencedor final, que deverá sair de um restrito lote que, já hoje, anunciou a sua presença.

Nenhum comentário: