segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Estacionamento automático guarda bicicletas em oito segundos no Japão

veja vídeo: http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2013/10/estacionamento-automatico-guarda-bicicletas-em-oito-segundos-no-japao.html

Estrutura construída em apenas dois meses guarda mais de 200 vagas. O sistema recebe qualquer bicicleta, até as elétricas.

Do Japão, vem o exemplo de uma solução para um problema comum em algumas das maiores cidades do mundo. A falta de estacionamento para bicicletas.
Com 72 anos de idade, o senhor Akirakaia chega ao trabalho. É fiscal de estacionamento no centro de Tóquio. Vem de bicicleta como tantos moradores da capital japonesa.

A cidade é plana, fácil de pedalar. O problema é onde parar. Falta espaço para mais bicicletários. Estão sempre lotados. E até o mais certinho dos japoneses apela para grades, postes, mesmo recebendo advertência. Mas eles já encontraram uma solução.

Você pode procurar, mas não vai ver as 204 bicicletas que estão estacionadas em uma pracinha, no centro de Tóquio. O espaço em cima é do pedestre. Embaixo, o dono é outro.

A 11 metros de profundidade, uma estrutura construída em apenas dois meses guarda as mais de 200 vagas. Tudo começa nos quiosques. A etiqueta eletrônica perto da roda comprova o pagamento do mês, o equivalente a R$ 40.

É só encostar na entrada que um leitor eletrônico reconhece a bicicleta. O dono pode virar as costas: a porta abre. E lá vai ela. Em oito segundos, um mergulho guiado pelo braço mecânico que encontra uma vaga e volta rapidinho para o alto.

Da parte de baixo é possível ver como o sistema funciona perfeitamente bem, em uma mistura de velocidade e delicadeza de pegar a bicicleta e levá-la de volta a superfície.

Na hora de ir embora, só é preciso encostar um cartão magnético na máquina. Segundo o representante da empresa que desenvolveu essa tecnologia, o sistema recebe qualquer bicicleta, até as elétricas.

“E tem a vantagem de aproveitar bem o espaço. Aqui temos mil bicicletas e a praça está limpa para as pessoas passarem”, conta o administrador Daisuke Hirose.

O senhor Akirakaia usa sem problemas o sistema desde abril.

"A grande vantagem é a velocidade e a praticidade", diz ele para começar, tranquilo, mais um dia de trabalho.
Construir um estacionamento subterrâneo como o mostrado na reportagem custa o equivalente a R$ 3,5 milhões.

Nenhum comentário: