quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Caloi foi vendida. Reveja suas bicicletas e histórias

Fundada há 155 anos, a Caloi foi um dos marcos da fabricação de bicicletas no Brasil


Haja história. Nascida no final do século XIX, a Caloi viu a bicicleta transitar entre os elegantes senhores e senhoras na cidade de São Paulo, que mal sabia o que era um carro.

O italiano Luigi Caloi desembarcou no Brasil e começou a trilhar seu sonho: ele fundou a Casa Luiz Caloi, que importava bicicletas do mercado europeu.

A dificuldade de importar peças na época da Segunda Guerra fez com que a Caloi desse início à sua produção nacional. Em 1945, foi inaugurada a primeira fábrica da Caloi, no bairro paulistano do Brooklin. Era o nascimento da primeira fábrica de bicicletas do Brasil.

O italiano Luigi Caloi desembarcou no Brasil e começou a trilhar seu sonho: ele fundou a Casa Luiz Caloi, que importava bicicletas do mercado europeu.
  • Os primeiros estudos de artefatos de duas rodas movidos pela força humana datam dos séculos XV e XVI.
  • Até 1800, as bicicletas não tinham pedal e eram impulsionadas com os pés!
  • "Poucos objetos utilizados pelos seres humanos originaram uma revolução tão grande nas convenções sociais como a bicicleta." Trecho do censo norte-americano de 1900.

ANOS 70

A geração de 70 nasceu com um pedal da Caloi no pé. Foi nessa década que aconteceu o primeiro Passeio da Primavera (evento que chegava a reunir 80 mil pessoas em um mesmo dia!), o lançamento da Caloi 10 e aquela campanha que marcou memórias: Não esqueça a minha Caloi.

Em 72 nasceu a Caloi 10, um dos modelos mais queridos do Brasil. Foi a primeira bicicleta de 10 marchas do País: uma bike esportiva, com o guidão rebaixado, que revolucionou toda uma geração.

A Caloi inaugurou mais uma fábrica no País, no Polo Industrial de Manaus. Com essa base, lançou outro sucesso de vendas: a Mobylette. Lembra da sua?

Foi em 78 que a primeira peça da campanha "Não esqueça a minha Caloi" surgiu, com o personagem Zigbim, que incentivava a garotada a lembrar de um presente... que não foi esquecido até hoje. 

Triathlon, a modalidade esportiva que une natação, bike e corrida, nasceu na década de 70. Ela ajudou a introduzir novas tecnologias no mercado e foi a porta de entrada para o Mountain Bike.


ANOS 80

A estreia da década de 80 para a Caloi veio com a assinatura O ano da Bicicleta, e já mostrava o que vinha por aí: a década da bicicleta. Ao menos, a década da Caloi Cross, que figurava nas garagens de 10 entre 10 meninos dos anos 80.

Caloi Cross Extra Light foi um lançamento que marcou uma geração. Ela se inspirou no sucesso do filme E.T. - O Extraterrestre, com um modelo para a criançada que sonhava em voar.

Ícone da geração que cresceu ouvindo as músicas da rainha dos baixinhos, a Caloi faz parte da vida de muita gente e da própria cultura popular. Você lembra da participação da equipe Caloicross no filme Os Trapalhões e o Mágico de Oróz?

Em 89, chegou aos mercados a Caloi Mountain Bike 18, a primeira feita especialmente para a prática do esporte.

  • Nos anos 80, o regime da Ditadura tinha uma política muito voltada ao desenvolvimento da indústria de automóveis. Não à-toa, para a sociedade da época, bicicleta ganhou pecha de "coisa de criança".
  • Renata Falzoni começou seu trabalho naquela década, fazendo eventos como o Night Bikers, o primeiro passeio noturno organizado da história do Brasil - e talvez o primeiro do mundo!


Os anos 90 viram o crescimento da Caloi dentro e fora do País. Em meio a vários lançamentos de sucesso, ela deixou de ser uma empresa familiar e passou a integrar os negócios de Eduardo Musa.

Foi quando a Caloi deu início à sua internacionalização, abrindo uma subsidiária na Flórida, nos Estados Unidos.

Neste importante ano, a Caloi patrocinou o heptacampeão do Tour de France, Lance Armstrong, na equipe Motorola/Caloi. Outra parceria inusitada foi comercial, feita entre Caloi e Chevrolet, que lançou uma bike vendida na rede Chevrolet e foi apresentada no Salão do Automóvel.

Os 100 anos de Caloi foram comemorados com um novo modelo de muita classe: a Caloi 100.

Foi quando ocorreu a mudança no controle da empresa, que desde então passou a integrar os negócios de Eduardo Musa.

  • Foi a Caloi que introduziu os quadros de alumínio no mercado internacional, no início dos anos 90.
  • O mercado de bikes cresceu tanto na década de 90, que incentivou o desenvolvimento da fabricação de uma imensa variedade de acessórios para bikes e ciclistas.
  • No final dos anos 90, o Brasil fabricava 4 milhões de bicicletas.


Desde 2000, a Caloi se assumiu como uma empresa destinada à vida saudável, mudou seu logotipo e colocou todo o mundo para pedalar: crianças, adultos, esportistas, ciclistas profissionais, amadores e bikers de fim de semana. Foi até para dentro de casa, com a linha Home Fitness.
Foi quando a Caloi deu início à sua internacionalização, abrindo uma subsidiária na Flórida, nos Estados Unidos.
A Caloi já atuava em home fitness desde 1997, e assumiu o primeiro lugar no segmento em 2002.
Foi a vez da fábrica Caloi se mudar: a antiga unidade da Avenida Guido Caloi foi desativada, enquanto era inaugurada a nova fábrica em Atibaia, mais moderna.
O site da Caloi passou por uma reformulação total, com a opção de compras pela internet.
A Organização das Nações Unidas (ONU) elegeu a bicicleta como o transporte mais sustentável do planeta.
Seguindo o exemplo de grandes capitais de todo o mundo, a cidade de São Paulo criou, em 2007, o primeiro bicicletário em uma estação de metrô, com 150 bikes para empréstimo.

2010
E lá foi a bicicleta: mudou de meio de transporte a brinquedo de criança e, por fim, evoluiu a um importante e transformador veículo urbano. Em toda sua trajetória, a Caloi viu muitos cenários e novas paisagens neste universo. Viu bicicleta mudar de modelo, de material e, mesmo, de papel no planeta, acompanhando e construindo essa transição. Mais de 100 anos depois, estamos aqui para dizer: a Caloi continua contando a história do ciclismo no mundo.

Nenhum comentário: