quarta-feira, 10 de julho de 2013

100 anos das bicicletas da Volta da França: um mapeamento da evolução do ciclismo

POR -  09 JUL, 2013 - 05:06


Existem poucos esportes profissionais tão ligados à tecnologia como o ciclismo. Uma bicicleta não é apenas um equipamento, como ski ou a raquete de tênis – é uma parceira em uma relação simbiótica entre máquina e atleta. E é impressionante ver como algumas peças da máquina mudaram tão drasticamente no último século, enquanto outras continuam praticamente idênticas.
Este ano marca a 100ª edição da Tour de France (a Volta da França), e é um ótimo momento para olhar para toda essa evolução da bicicleta de estrada. Nós observamos uma ótima coleção de bicicletas usadas durante a Volta da França em toda a história, cortesia de Emile Arbes do Le Blog de Velos Vintage, e adicionamos algumas outras encontradas na internet. A coleção começa do princípio, quando ser preparada para estradas significava usar a cera para bigode, até hoje, quando bicicletas são tão leves que ciclistas precisam pesá-las para provar que são legais.
Mas vale lembrar que não passamos muito tempo com foco na tecnologia contemporânea – isso é papo para outro post.

ku-xlarge (1)ku-xlarge

1903

Sessenta ciclistas competiram no primeiro Tour, e apenas 21 terminaram. Maurice Garin, foi o vencedor com a sua La Françaice de aço. Sua estrutura pesada contava com um tipo de pedal que havia sido inventado alguns anos antes.

ku-xlarge (2)ku-xlarge (3)

1914

Uma geometria mais moderna estava emergindo uma década depois – observe o guidão mais reconhecível nesta Thomman-Joly pilotada pela estrela belga León Scieur, que venceu a volta em 1914 pedalando uma bicicleta bem parecida com essa. Também observe a bomba no assento – na época, os pilotos faziam a própria manutenção. Era contra as regras do Tour receber ajuda.

ku-xlarge (4)ku-xlarge (5)

1924

O primeiro vencedor italiano, Ottavia Bottecchia, pedalava em uma AuTomoTo-Hutchinson durante sua vitória em 1924. Três anos depois, ele foi encontrado morto com uma fratura no crânio no acostamento de uma estrada com a sua bicicleta intocada. A sua morte permanece um mistério, mas muitos atribuem a capangas de Mussolini, com medo das tendências anti-fascistas de Bottecchia.

ku-xlarge (6)ku-xlarge (7)

1930

André Leducq, que venceu o Tour em 30 e 32, pedalava uma Alcyon-Dunlop. Ainda sem marchas – é difícil imaginar alguém pilotando uma bicicleta com uma única velocidade próximo aos Alpes hoje em dia. O câmbio foi introduzido sete anos depois, em 1937, e antes disso os pilotos precisavam deixar a bicicleta para trocar a marcha.

ku-xlarge (8)

1934-39

Antonin Magne venceu o Tour em 31 e 34, quando ele secretamente testou o primeiro aro “duralumínio” durante a corrida. Ele se esforçou tanto para disfarçar que pintou grãos de madeira no aro – a tecnologia era proibida na época.

ku-xlarge (9)

1952

O vencedor do Tour de 1947, Jean Robic, pedalou esta Colomb-Clément em 1952. Veja as alças de aço – e agora estamos na era do câmbio! Robic também foi um dos primeiros ciclistas a usar um capacete após fraturar o crânio em 1944.

ku-xlarge (10)FRANCE - JACQUES ANQUETIL ET EDDY MERCKX

1962

Jacques Anquetil (visto acima com Eddy Merckx) venceu o Tour cinco vezes com uma Saint-Raphael-Helyett de 1962.

ku-xlarge (12)original

1967

Felice Gimondi – que venceu o Tour em 65 – pedalou uma Bianchi 1967 celeste por anos. Contemporâneos de Bianchi vão reconhecer suas iniciais – elas eram usadas nas armações FG Light da empresa.

ku-xlarge (13)

1974

Eddy Merckx é provavelmente o ciclista mais conhecido do século XX – ele ganhou cinco vezes a Volta da França e se tornou um dos ciclistas mais vitoriosos da história. Há muito a ser dito sobre ele, mas é mais legal ver essas cenas de A Sunday In Hell, um documentário que cobre a corrida Paris-Roubaix de 1976.

original (1)original (2)

1985

Laurent Fignon, com óculos, pedalava uma Gitane de aço na suas vitórias de 1983 e 1984. [Imagens via Flickr]

ku-xlarge (14)

1990

Greg LeMond foi o primeiro ciclista não-europeu a vencer a Volta da França em 1986, e venceu pela segunda e terceira vez em 89 e 90. Aqui, você pode ver a pintura única dele – assim como seu pedal sem clip, o que se tornou comum no fim dos anos 80. [Imagem via C.Cal.Shoot]

original (3)

1994

Esta foi a última vez que uma bicicleta de aço venceu o Tour, quando Miguel Indurain conquistou a sua quarta de cinco vitórias. Sua Pinarello de 9kg, segundo relatos, tinha apenas a marca Pinarello – na verdade, ela tinha sido construída por Dario Pegoretti.

ku-medium

1998

Estamos entrando na era contemporânea, com empresas experimentando bicicletas sem ser de aço, com materiais como fibra de carbono. A Bianchi Mega Pro XL Reparto Corse, de Marco Pantani, uma bicicleta de alumínio, foi a última bicicleta a vencer o Tour de France sem ser feita de fibra de carbono. Foi o fim de uma era.







original (4)ku-xlarge (15)

1999-2003

Claro, Lance Armstrong perdeu seus títulos, mas a sua Motorola-Eddy Merckx de 1994 de aço acima é fascinante em comparação com suas outras bicicletas. Armstrong se tornou um early adopter de tecnologias contemporâneas de ciclismo, muitas vezes em parceria com a Trek. Ele foi o primeiro vencedor a usar uma bicicleta de fibra de carbono do começo ao fim e, em 2003, usou a bicicleta mais leve da história do Tour (uma Trek 5900 SL de 6,5kg) antes dos organizadores definirem um peso mínimo de 6,8kg.

original (5)

2013

Alberto Contador, El Pistolero, venceu o Tour em 2007 e 2009 (e foi banido por um tempo por doping). Neste ano ele está de volta, mas precisa alcançar o líder Chris Froome. Contador é conhecido como um alpinista, e suas bicicletas são adaptadas para usar essa força – observe a sua Specialized Tarmac SL4, que torna mais fácil se manter se manter no grande anel em vez de reduzir a marcha em longas subidas. [imagem de topo via VeloNews]

Existem muitos modelos que não incluímos na nossa lsita – sinta-se à vontade para compartilhar nos comentários.
Imagens de  1903 a 1976 foram cortesia de Emile Arbes do Le Blog de Velos Vintage

Nenhum comentário: