segunda-feira, 6 de maio de 2013

CICLISMO EM OUTROS PAÍSES. COMO É PEDALAR POR LÁ?

Aqui o ciclismo ainda não é devidamente respeitado.

Veja como é andar de bike em outros lugares.

Vários casos de atropelamento e desrespeito com ciclistas aparecem, com frequência, na mídia. Fica evidente que, para nós brasileiros, andar de bike pelas ruas das grandes cidades é muito arriscado. O que é uma pena, já que o ciclismo seria uma das melhores alternativas para resolver problemas cotidianos que vivemos hojeO brasileiro precisa aprender com os outros países o que é respeito ao ciclista..

Muitos protestos já foram feitos para cobrar o respeito MÍNIMO que os ciclistas necessitam para trafegar nas ruas com segurança. Esse não é um caso exclusivo de cidades com o trânsito caótico, mas um problema que está na cultura do brasileiro.
Para provar isso separei alguns países que mostram que a segurança do ciclista não está apenas no capacete que ele usa, mas também na maneira que é visto por quem está a sua volta. Veja a seguir como o ciclismo é reconhecido em outros países.

Ciclismo na Colômbia:

Bogotá, a capital colombiana, é uma das melhores cidades da América Latina para andar de bike. Há mais de 37 a cidade de Bogotá investe em sua malha cicloviária, o que faz de lá uma dos melhores lugares para se pedalar.
Comprar uma bicicleta por lá é muito mais que um bom negócio. É uma atitude cultural, incentivada pelo próprio governo colombiano.
Por exemplo, pelo menos uma vez por semana as principais vias de 19 dos 20 bairros da cidade são fechadas totalmente para os ciclistas e pedestres. Geralmente isso ocorre entre as 7h e 14h dos domingos, e reúne cerca de 660 mil pessoas de bike.

E que fique claro que quando eu digo que essas ruas são exclusivas para o ciclismo, eu quero dizer que são REALMENTE 100% livres de carros. Diferente do Brasil que, apesar de reservar dias para as pedaladas, não exclui os carros dessas ruas.
Lá é tudo muito bel sinalizado. Além disso, cerca de 220 ciclistas, conhecidos como guardiões, tomam conta de tudo. Isso sim é um exemplo de respeito que temos que passar adiante.

Ciclismo nos Estados Unidos:

Não é querer puxar a sardinha para o lado dos gringos, mas sabemos que eles servem de exemplo pra muita coisa. Não é a toa que copiamos tanta coisa deles. O problema é que nós levamos na brincadeira o que lá é assunto sério.
Em Scottsdale, cidade localizada no estado do Arizona, os ônibus possuem uma espécie de suporte para bikes, onde os ciclistas podem depositá-las para subir a bordo do ônibus.

Nas ruas de São Francisco o direito de ir e vir é levado a risca, seja de carro ou de bicicleta. Só é preciso lembrar-se das regras básicas para pedalar com segurança. Não esquecer equipamentos como faróis e capacetes. E também ter a consciência de que, apesar do respeito com os ciclistas, eles também devem respeitar os motoristas.

Ciclismo na Holanda:

A Holanda sempre se destacou pela arquitetura e pelo turismo “alternativo” para Amsterdam, mas o que ninguém comenta com frequência é sobre a ótima estrutura oferecida aos ciclistas de lá.
Em Utrecht, a quarta maior cidade holandesa, 33% do deslocamento é feito de bicicleta. E se você é daqueles que só acreditam vendo, dá uma olhada no vídeo abaixo. Ele mostra como é o horário de rush nessa cidade que investe em quem pedala:

ciclismo na Holanda é levado a sério. Lá a bicicleta tem sempre a preferência, mesmo em relação ao pedestre. As ciclofaixas são de alta qualidade, bem demarcadas e sinalizadas e extremamente respeitadas pela população.
Depois desses exemplos eu deixo uma pergunta no ar: “Até quando?
Essa é a questão que devemos levantar ao pensar no futuro do ciclismo no Brasil. Afinal, nosso país está fazendo de tudo para ficar ao lado de nações desenvolvidas, mas investir em estádios para a Copa do Mundo não é a única solução.
Divulguem esse exemplo, vistam a camisa e vamos à luta por nossos direitos!
http://www.hiperativos.com.br/ciclismo-em-outros-paises/

Nenhum comentário: