segunda-feira, 25 de março de 2013

Acidentes impulsionam busca de alunos por ciclismo indoor


Modalidade com alto gasto calórico tem alta procura e recupera investimento de gestor.

A procura por atividades ao ar livre está cada vez mais frequente, todavia, os cuidados com a segurança crescem na mesma proporção. Embora a prática de ciclismo esteja em alta com o incentivo dos municípios ao criarem ciclofaixas e ciclovias, o número de acidentes leva ao medo de praticar o esporte nas ruas, fazendo com que a atividade migre para dentro das academias. “É inevitável. O número de acidentes graves no ciclismo de rua, impulsionado pelas dificuldades do trânsito brasileiro, leis que não se cumprem, estradas inviáveis e nenhum respeito por parte dos motoristas desestimulam totalmente a prática do ciclismo outdoor”, aponta Paulo Akiau, professor de Educação Física formado pela Universidade de São Paulo (USP) e sócio-fundador da Body Systems Latin America.
Sendo uma modalidade de grande apelo, sem objeções por parte dos praticantes, segundo Akiau, o ciclismo indoor possui programas com nomes variados, como spinning e RPM e pode ser praticado em diferentes ambientes, sendo sucesso entre os alunos que buscam resultados rápidos e alta motivação e um de seus pontos altos de prática é nas academias de cruzeiros, onde se combina o vento e a paisagem do espaço aberto à atividade em local fixo. O bem-estar que provoca é tanto que as aulas são sempre concorridas, mesmo que os praticantes estejam em férias ou simplesmente viajando para relaxar da rotina estressante.
Tanto sucesso implica no desafio que Marco Corradi, supervisor de marketing da Movement (www.movement.com.br), empresa fabricante de equipamentos fitness, conta existir entre os gestores de academia, que é adequar a agenda à grande procura dos alunos pela aula: “muitas vezes o agendamento se torna escasso para a demanda”.

Nenhum comentário: