quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Projeto Duas Rodas - Ribeirão das Neves à Cochabamba de bicicleta










O ciclista Elber Mourão chega à Bolívia e está perto de completar sua jornada até Cochabamba

O segundo sargento do Corpo de Bombeiros, Elber Mourão, de 37 anos, concluiu uma das etapas mais difíceis de sua jornada. Venceu os mais de 240 quilômetros da estrada que liga a cidade de Miranda à Corumba, ainda no Mato Grosso do Sul, mas próximo à fronteira com a Bolívia.
Ele já está pedalando nas estradas da Bolívia e no último domingo (17), saiu cedo de Puerto Suarez e iria pedalar até um vilarejo chamado de Santa Ana de Chiquitos. Porém, poucos quilômetros antes de chegar foi informado de que na cidade não havia hotel. “Então, consegui um alojamento de trabalhadores em El Carmen a 25 bolivianos, cerca de R$8”, contou.
Segundo Elber, o sol que está enfrentando é intenso e o vento tem soprando com muita força no sentido contrário. “Se não fosse por isso, daria para ir um pouco mais adiante até a cidade de Águas Calientes, que é um instância hidromineral de águas termais”, explicou.

Travessia do Pantanal

Em seu 14º dia de viagem em cima de sua bicicleta, Elber Mourão finalmente chegou em Corumbá, depois de uma temerosa travessia do Pantanal. “Sai por volta das 7 horas de Miranda e pedalei 240 km até Corumbá. O dia estava extremamente quente e, várias vezes, de maneira repentina o tempo mudava e caia uma forte chuva, sem, no entanto amenizar o calor que era muito intenso”, disse.
De acordo com o ciclista, a pedalada foi marcada por grandes retas, com um vento contra que dificultava a progressão. “Havia uma empreiteira fazendo uma linha de transmissão de energia elétrica, foi a minha sorte. Como existiam várias equipes ao longo da estrada, por diversas vezes consegui água gelada com o pessoal”, contou aliviado.
Ainda segundo Elber, algumas vezes, tentou parar em trechos alagados do Pantanal. “Mas sempre era atacado por mosquitos tão vorazes que se tornou praticamente impossível ficar no local sem usar um repelente”, revelou.
No dia seguinte, Elber Mourão revisou sua bicicleta e fez o reconhecimento da primeira cidade da Bolívia por onde passaria.
“Quando estava chegando a Corumbá, detectei uma folga na roda dianteira, com uma consequente perda de estabilidade da direção da bike. Então tratei de levar a bicicleta para dar uma manutenção básica na roda e aproveitei para inverter os pneus, já que o desgaste do pneu traseiro é bem maior que o dianteiro”, explicou.
Assim que foi feita a manutenção, Elber aproveitou para dar uma volta pelo centro da cidade e resolver as questões burocráticas para entrar na Bolívia. “Fui em direção à fronteira do Brasil com a Bolívia e lá fiz toda a parte burocrática nas Polícias Federais de um lado e de outro. Então experimentei dar as primeiras pedaladas em território boliviano”, contou.

Elber Mourão

Elber Mourão ficou famoso em Belo Horizonte quando, em 2010, realizou uma grande viagem para Buenos Aires, na Argentina, de bicicleta. Agora, três anos depois ele vive outra aventura. Dessa vez, irá concluir uma pedalada de mais de quatro mil quilômetros até a cidade de Cochabamba, na Bolívia.
A partida do projeto aconteceu no dia 2 de fevereiro. Em dias comuns, ele segue uma rotina de pedaladas, trabalhando no Pelotão do Corpo de Bombeiros e utilizando a bicicleta como meio de transporte a qualquer lugar que precise ir. “O que é uma constante há muitos anos quando me tornei um cicloativista”, completou.
Elber Mourão afirma que o grande objetivo da viagem é falar novamente para toda a sociedade que é perfeitamente viável trocar os veículos automotores por alternativas que trazem melhor qualidade de vida individual e coletiva. “Todos saem ganhando com mais bicicletas rodando nas ruas: o individuo que terá mais saúde e a sociedade que terá uma cidade menos congestionada, menos poluída e com menos acidentes violentos”, frisou.
Camila Martucheli
(Jornalista | Assessora de Imprensa)
www.camilamartucheli.com
 


Nenhum comentário: