segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

O que é MTB?


Mountain Bike
1.0 - O que é Mountain Bike?
Andar de bicicleta pode não parecer nenhuma novidade, mas o que chamamos de mountain bike é uma modalidade relativamente nova. Trata-se do ciclismo voltado para trilhas e montanhas com os mais variados tipos de terrenos, de preferência praticado com veículos próprios - as mountain bikes, bicicletas fabricadas com alguns diferenciais que permitem o acesso a qualquer tipo de obstáculo e agüentam todos os trancos possíveis. Uma espécie de bike off-road, assim como o jipe está para os veículos dito normais.
O primeiro Campeonato realizado no Brasil foi em 1988 e em 1996 estreou nos Jogos Olímpicos de Atlanta na modalidade cross-country. Falando em modalidade, são cinco, ao todo: Cross-country (disputada em circuitos, com várias voltas), Down-hill (somente descida), Up-hill (subida), Intercity (entre cidades), Trip-trail (uma volta em um grande circuito de, no mínimo, 20 Km) e Slalom (descida com obstáculos, semelhante ao esqui na neve).
As principais provas na modalidade cross-country, além das Olimpíadas, são o Campeonato Pan-Americano de Mountain Bike, Copa do Mundo e Campeonato Mundial. Ainda há o Campeonato Brasileiro de Mountain Bike e o Interestadual. Também há competições na modalidade down hill, como os campeonatos Brasileiro e a Copa do Mundo.


2.0 - HistóriaMeados dos anos 70, rock n' roll com sabor de descoberta, jovens com cabelos longos, corpos esbeltos pela alimentação natural, muita paz e amor, e ciclistas descendo as montanhas da Califórnia em alta velocidade. Foi assim que surgiu o mountain biking, da necessidade de jovens viverem a liberdade em cima de duas rodas, pedalando, junto da natureza e desafiando os limites com sua força e persistência. Além de voarem num downhill.
A subida nem era tão aclamada (ainda mais em se tratando de praticantes nem tão esportistas assim...), mas eles carregavam as bikes nas costas, persistindo, até o topo da descida e despencavam de lá. Adrenalina total. Depois, veteranos do ciclismo olímpico, que tinham como diversão propor desafios cada vez maiores, adotaram como passatempo a subida de um monte ao norte da baía de São Francisco, na Califórnia. Suas bicicletas eram apelidadas de "clunkers" (tranqueiras) e "trashmobiles" (lixomóvel).
Com isso, ciclistas como Tom Ritchey passaram a desenvolver equipamentos e acessórios para um tipo de ciclismo que viraria febre nos EUA dos anos 80. Os percursos eram trilhas e estradas de terra, encaradas com bikes speed e que acabaram sendo tomadas por bicicletas montadas com quadros tipos cruisers. Outros componentes foram acrescentados como câmbios para pedalar força, pneus maiores e freios que respondiam com maior rapidez.
Os grupos de mountain bikers foram aumentando e a vontade de competir entre eles também. Na mesma Califórnia foi organizado então o Repack Downhill, uma primeira prova de descida em Mt. Tamalpais, em que a velocidade na descida mandava. Assim como Ritchey (é, aquele dos quadros e componentes de bike...), Gary Fischer era um desses bikers das "antigas". Tanto um quanto outro se desenvolveram no mercado do ciclismo e têm empresas na área.


3.0 - Quando Surgiu no BrasilFinal da década de 80, as bikes do tipo BMX dominam o cenário nacional. Com sua performance radical em circuito artificiais de Bicicross, o aro 20 era tudo de mais adrenalizante que os ciclistas conheciam. Lá pelos idos de 1986 chegava tímida a modalidade no país, com uma filosofia de percorrer caminhos alternativos, usando algumas manobras do BMX para transpor obstáculos naturais e, principalmente, para viver o contato com a natureza. Surgia no vocabulário brasileiro o “single trek”.
Os primeiros mountain bikers vieram do aro 20, até pela familiaridade com o esporte e agilidade nas manobras. O esporte sobre duas rodas se popularizou com empresas como a Caloi e a Monark, que investiram na fabricação das mountain bikes e incentivavam os passeios.
O primeiro campeonato oficial foi o Cruiser das Montanhas, em 1988, em Campos do Jordão (SP), point idolatrado por ciclistas. Em 1996, o mountain biking estreou nos Jogos Olímpicos de Atlanta, na modalidade Cross Country. Atualmente, diversos campeonatos com Mundial, Panamericano, Sul Americano, Brasileiro, Estaduais e Intermunicipais dão o tom do esporte, que tem como base os muitos ciclistas amadores.
Com a abertura do mercado brasileiro em 1992, várias marcas de difícil acesso e muito cobiçadas entraram no país, como Scott, Specialized, Trek, Cannondale, Ritchey, Giant e outras. O melhor quadro passou a ser de cromo molibdênio, que depois foi superado pelo alumínio e, depois, pelo titânio. Os freios e câmbios mecânicos passaram usar outras tecnologias, como hidráulica e a disco. As suspensões (ou amortecedores) estão entre os componentes da bike de cross country, mais ainda, de uma biker de downhill, que pode ser tipo full-suspension.
O esporte movimenta um bom mercado. Nos passeios ciclísticos nas principais capitais brasileiras, nota-se a preferência por mountain bikes e muitos ciclistas de final de semana já se passeiam com segurança há um bom tempo por estradas de terra. Os single trek são muito procurados por aqueles que desejam um bom mais de aventura e de estar mais dentro da natureza.
Atletas brasileiros têm se destacado em eventos mundiais, (Edu Ramires, campeão mundial de Cross Country), provas bem estruturadas e conhecidas no país (Iron Biker e MTB 12 Horas), indústria de ciclismo investindo (Caloi e Sundown) e as mais diversas lojas especializadas no mundo bike.


4.0 - Dicas ImportantesSempre utilize todos os equipamentos de segurança. Eles são fundamentais, até porque os tombos fazem parte do mountain-bike.
A bicicleta deve ser sempre cuidada com todo o carinho. Dessa maneira você estará aumentando a durabilidade do equipamento.
Procure pessoas experientes no esporte para pegar algumas dicas. Eles já sabem quais são as principais dificuldades e podem orientá-lo.
Para quem não pode fazer uma trilha devido a correria do dia-a-dia pode optar pelos jogos de vídeo game do esporte. Os gráficos e a evolução desses jogos proporcionam uma boa distração. Mas assim que der saia com sua bike.


5.0 - Equipamentos
O mais importante na bike é o conjunto. Não importa você ter metade das peças de boa qualidade e o resto ruim, pois você não obterá um bom resultado. Abaixo vão algumas dicas das principais peças da bicicleta.

 Freios: Existem quatro modelos de freios, que são: cantilevers (mais antigos), v-brakes, hidráulicos e a disco. Nunca escolha um acessório pelo preço. Lembre-se que a bicicleta é um conjunto.

 Quadros: Com certeza é a parte mais importante da bicicleta. É ele quem determina para que tipo de competição você estará apto a participar. Apesar de existirem vários tipos de quadros (aço, cromo, alumínio, fibra de carbono, metal matrix e titânio), o que vale realmente é a forma.

 Suspensões: existem dois modelos de suspensão. A traseira e a dianteira. O mais importante nesse equipamento é ver o peso, a resistência, rigidez e a compressão.

 Câmbio: Popularmente conhecido como marcha, o câmbio é dividido em três partes: câmbio traseiro, câmbio dianteiro e passador. O câmbio faz com que a corrente mude de peão ou coroa. Já o passador é quem realiza a mudança.

 Rodas: As rodas dividem-se em quatro componentes: aro, cubo, raios e pneu. Cada um tem uma função diferente. O importante é buscar a qualidade dos equipamentos, pois uma peça que não se adapte as outras pode prejudicar todo o equipamento


6.0 - Quem Pode Praticar
Quem nunca andou de bicicleta pelo menos uma vez na vida? Se você já andou então está apto a praticar o mountain-bike. É claro que não é tão simples assim, e por exigir certa habilidade do praticante, o ideal é que você pratique um pouco antes de encarar um terreno acidentado.
Um exame de saúde é indicado, assim como para qualquer outra atividade física, já que você terá um desgaste praticando o mountain-bike. Então é isso! Um pouco de habilidade com a bicicleta e um bom preparo físico. Agora é só curtir a paisagem e o passeio!
fonte: http://www.kaaporas.com.br/atividades_mountainbike.php

Nenhum comentário: