segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Prefeitura de BH pretende investir 50 milhões de reais em ciclovias até 2020


Projeto polêmico quer estimular moradores a adotar a bicicleta como meio de transporte

por Paola Carvalho | 23 de Janeiro de 2013
Nidin Sanches/Odin

A geógrafa Manuela Andrade, na Rua Antônio Aleixo, em Lourdes: "Nós, ciclistas, fazemos parte do trânsito, assim como o condutor de qualquer outro veículo"

As ciclovias estão se espalhando pela cidade. Existem hoje 47,7 quilômetros e até o fim do ano, segundo a prefeitura, serão 100. O plano é chegar a 200 quilômetros de rotas cicloviárias até 2016 e a 380 até 2020. Ao custo médio de 150 000 reais por quilômetro, será um investimento de cerca de 50 milhões de reais, com recursos do cofre municipal e do Banco Mundial. A expectativa é que, com o programa concluído, 6% de todos os deslocamentos pela cidade ocorram sobre a magrela - ou seis vezes mais do que hoje. A proposta, porém, provoca polêmica. Há quem não veja sentido no projeto e argumente que a topografia acidentada da capital é um limitador natural para o uso das bikes como meio de transporte por aqui. Ou quem acuse a administração municipal de, ao destinar faixas exclusivas a elas, deixar menos espaço para os carros, complicando ainda mais o trânsito. Quem já aderiu às duas rodas protesta. "Andei de bi­­cicleta em Dublin, na Irlanda, e Amsterdã, na Ho­­landa, onde o trân­­sito também é caótico, e nesses lu­­gares todos respeitam o ciclista", diz a geógrafa Manuela An­­drade, de 31 anos, que desde os 16 faz boa parte de seus deslocamentos em duas ro­­das. "Somos parte do trânsito, assim como o condutor de qualquer outro veículo." Ela tem razão, está no Código Brasileiro de Trânsito. E os ciclistas parecem mais dispostos do que nunca a exercer o direito de circular pelas vias públicas.
CONTINUE LENDO:

http://vejabh.abril.com.br/edicoes/prefeitura-bh-pretende-investir-50-milhoes-reais-ciclovias-2020-731339.shtml

Nenhum comentário: