quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Ciclismo ganha investimento para crescer no Brasil


A Caloi vai investir pesado, R$ 25 milhões em quatro anos, em busca de um sonho: o de desenvolver atletas competitivos no ciclismo da Olimpíada de 2016

12 de dezembro de 2012 | 15h 44VALÉRIA ZUKERAN - Agência Estado
A Caloi vai investir pesado, R$ 25 milhões em quatro anos, em busca de um sonho: o de desenvolver atletas competitivos no ciclismo da Olimpíada de 2016 e nas edições dos Jogos subsequentes, criando no Brasil um ou mais ídolos capazes de dar impulso ao esporte, bastante popular na Europa.
 - VALÉRIA ZUKERAN/ESTADÃO
VALÉRIA ZUKERAN/ESTADÃO
O presidente da fabricante de bicicletas, Eduardo Musa, apresentou nesta quarta seu projeto para as modalidades estrada e, especialmente, mountain bike. Esta última terá equipe administrada diretamente pela empresa, técnico estrangeiro, e planos de participar do calendário internacional da União Ciclística Internacional (UCI).
"Dizem que toda pessoa tem de gerar um filho, plantar uma árvore e escrever um livro. Eu acrescentaria um item: ajudar o País a conquistar uma medalha olímpica", diz o executivo. Ele não esconde que o objetivo da iniciativa é criar um ídolo para o esporte a exemplo do que foi Gustavo Kuerten para o tênis. "Espero que mude o ciclismo e o cenário do nosso esporte de base", disse Musa, lembrando que depois dos títulos do brasileiro em Roland Garros muitos jovens, até de origem humilde, passaram praticar o tênis como um esporte no qual é possível um brasileiro ser competitivo. É lógico que, como empresário, ele não esconde a pretensão de se beneficiar com um efeito colateral positivo da criação de ídolos: o aquecimento do mercado interno de fabricação de bicicletas.
Por e-mail: Adelmo

Nenhum comentário: