sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

A arte de restaurar bicicletas antigas


Ronaldo Rinaldi restaura bicicletas há cinco anos e não pensa em parar tão cedo com a aptidão.
O aposentado, Ronaldo Cezar Rinaldi de 58 anos faz um trabalho de arte diferente e pouco encontrado com restauração de bicicletas antigas e raras do mercado de antiguidades.
O trabalho minucioso e manual é feito há cinco anos e é procurado por colecionadores apaixonados por peças de antiquário para que após a restauração a bicicleta fique com a aparência original de anos atrás.
Rinaldi explica que o trabalho de restauração começou com a paixão de colecionar e personalizar miniaturas de carros. Com a coleção Rinaldi participou de várias feiras e exposições de auto plástico modelismo, conhecidos também como ‘Open’.
Os cuidados e a paciência para montar e modificar os carrinhos fez com que Ronaldo aceitasse o primeiro desafio de restauração, após um médico da cidade levar duas bicicletas , da marca Philips.
Em São Carlos, Rinaldi diz achar que é o único profissional que trabalha com restauração de bicicletas antigas e afirma que é um trabalho difícil e que requer muito tempo e paciência. “É preciso ter prazer neste oficio”, afirma.
O restaurador explica que todo o processo de recuperação das peças é feito por etapas e também pelo trabalho por outros profissionais. Sendo que o custo médio para cada restauração fica entre R$ 3 a R$ 4 mil.
No primeiro passo é preciso desmontar as partes da bicicleta, depois as peças vão para o processo conhecido como jatear, um trabalho que tira todas as ferrugens e corrosões do material antigo. Depois disso as peças passam pela funilaria para reparos de imperfeições, e quando voltam, entram no processo da pintura, com tintas apropriadas e modernas. O prazo para toda a restauração ocorre em média, de três a quatro meses.
Para deixar a bicicleta com a aparência mais original possível, Rinaldi faz uma ampla pesquisa na internet para buscar o máximo de informações sobre do modelo da época, como cores, decalques e outros detalhes em peças. Em seguida passa a encomendar os itens também pela internet. A partir daí, a criatividade entra em ação e o restaurador dá o seu toque especial para a nova bicicleta.
Depois de restaurada e finalizada a bicicleta está novamente útil para o uso ou exposição do colecionador, e com certeza com o valor muito maior para o mercado de antiguidades.
“É um prazer muito grande ver trabalho completo, pois o resultado é muito gratificante. Com o trabalho também ganha experiência e aprendizado”, comenta o restaurador
Com a restauração, Rinaldi passou a realizar concertos de outras bicicletas velhas e que precisam de uma manutenção ou um toque de modernidade.
Rinaldi não pensa em parar tão cedo com a aptidão que o tornou um profissional na restauração de bicicletas, e para um futuro próximo deseja melhorar e ampliar sua oficina para ter mais comodidade para trabalhar.
http://www.jornalpp.com.br/cidades/item/24956-a-arte-de-restaurar-bicicletas-antigas

Nenhum comentário: