sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Após escândalos de doping, grupo se propõe a mudar rumo do ciclismo

27 de Novembro de 2012  15h43  atualizado às 20h08

Especialistas em doping, como o diretor-executivo da Agência Americana Antidoping, Travis Tygart, ex-ciclistas e jornalistas farão parte do grupo "Change Cycling Now" ("Mude agora o ciclismo", em livre tradução), que tentará alterar o rumo da modalidade a partir da primeira reunião, que acontecerá em Londres na semana que vem.
A partir da nova situação do ciclismo criada após o escândalo do americano Lance Armstrong, o novo grupo propõe uma visão positiva do futuro do esporte. O primeiro passo para isso será pressionar a União Ciclística Internacional (UCI) a dar explicações pela suposta fraude à imagem global da modalidade após o caso envolvendo o ex-campeão do Tour de France.
Nos dois dias de duração da cúpula, que começará no próximo domingo, será debatido um novo mapa para uma mudança mundial, que incluirá o requisito imprescindível de, nas palavras do movimento, "mudança nas estruturas de Governo do ciclismo internacional e a implementação de exames antidoping independentes".
A imprensa internacional será representada por dois jornalistas que escreveram e denunciaram o uso de doping no ciclismo há mais de uma década: o escritor Paul Kimmage, que foi processado por dirigentes da UCI por acusações de corrupção, e o redator-chefe da seção de esportes, do Sunday Times, Davis Walsh.
Walsh escreveu quatro livros sobre a modalidade, entre eles um sobre Lance Armstrong, intitulado "L.A. Confidencial: os segredos de Lance Armstrong". Sua última obra intitulada "Seven Daily Sins" ("Sete pecados diários", em livre tradução) será publicada em dezembro.
A "Change Cycling now" e a cúpula de Londres são coordenadas pelo empresário australiano Jamie Fuller, proprietário da Skins, que atualmente patrocina seis equipes de ciclismo e federações nacionais.

Nenhum comentário: